Como passar de namoro para relacionamento

Entre uma das grandes dificuldades de qualquer relacionamento é manter a chama acesa mesmo depois de um bom tempo de namoro ou casamento. O fato de estar com a mesma pessoa durante muito tempo não deve ser nunca um impeditivo para uma boa relação – É justamente o contrário pois com o passar do tempo você conhece ainda mais a pessoa que vive e convive diariamente com você. By Livre de Psicopatas On December 13, 2015 October 21, 2017 In relacionamento psicopático Tagged abuso emocional, abuso psicológico, como se livrar de narcisistas, gaslighting, gente tóxica, manipulação, mentira patológica, mentirosos compulsivos, narcisista, pessoas tóxicas, psicopata, relaciomento abusivo, sociopata, violência ... Como superar o término de namoro de forma saudável iStock Sabemos o quanto um término pode ser doloroso, por isso trouxemos dicas que podem te ajudar a passar por isso da melhor forma. A oportunidade de explorar os aplicativos de relacionamento chegou com a quarentena. Como o contato direto está limitado, a tecnologia pode ajudar quem está em busca de viver um amor arrebatador! Durante a quarentena, os principais apps de namoro registraram um aumento de encontros virtuais e troca de mensagens entre os brasileiros. Uma pesquisa do Happn, concorrente do conhecido Tinder ... Com o passar do tempo, as pessoas começam a se queixar de problemas como o esfriamento da relação. O que é possível fazer para melhorar o namoro, o casamento ou um relacionamento a dois? A psicóloga Anna Frimm , que atende no Zenklub, fala sobre as principais queixas dos casais. Dê prioridade ao relacionamento. A primeira atitude a ser tomada por quem quer passar mais tempo de qualidade com a pessoa amada é transformar o namoro em uma prioridade — a intimidade é um dos principais “ingredientes” das relações saudáveis, e ela só poderá ser fortalecida se os parceiros reservarem tempo um para o outro. Como Converter uma Amizade em Namoro. Quando os seus sentimentos por alguém são mais passionais e fortes do que você deveria esperar de uma amizade normal, pode ser a hora de levar as coisas ao próximo nível. No entanto, passar por essa... É tão fácil como passar o dedo para um lado ou outro para aceitar ou rejeitar a sua candidata. Se você estiver interessado, deslize para a direita. Se não, para a esquerda. Se ambos estão interessados ocorrerá o match. BÔNUS #02: WooPlus. Um app dentro da esfera dos aplicativos de namoro com a proposta de atender ao público plus size. Contudo, mesmo durante essa fase menos intensa do relacionamento, ainda é possível recuperar aquele ânimo inicial com algumas atitudes. Nessa fase, o relacionamento começa a parecer que “perdeu a graça” e por isso é importante resgatar aquelas sensações do início da relação. Sugerimos então 10 dicas para salvar seu ... Como alguém que usa namoro online regularmente, eu vi de tudo. Eu sei o que funciona e o que falha miseravelmente. Há um pouco de área cinzenta e, claro, o gosto de cada um é diferente, mas há algumas coisas que são simplesmente proibidas. Claro, essas coisas também se aplicam ao namoro off-line, mas o namoro online torna tudo muito pior.

Como eu pude ferrar tudo?

2020.09.14 06:17 EnricoPorto Como eu pude ferrar tudo?

Sempre fui uma pessoa que sempre quis amar alguém e esse pessoa também me amar e sempre tentei namorar várias meninas na escola porém nunca deu certo e acabava ficando frustado demais e triste, mesmo muitas pessoas falam que eu sou uma cara bonito e acho q divertido não sei o que falta em mim para achar alguém que me ame tão como eu amo ela.
Porque uma vez conheci uma menina que era muito legal e está realmente gostando dela e um dia decidi levar pro cinema pq eu queria conversar mais com ela pessoalmente então nós fomos ao cinema assistimos um filme e enquanto o filme está rolando pedi minha oportunidade de beijar ela pq nunca tinha falado que gostava dela como eu sentia como paixão mais eu fui burro por não entender que ela também senti o mesmo por mim e decidi não beijar ela e alguns dias atrás queria falar com ela porque eu queria só falar com ela porque oq eu sentia por ela ainda existia porém ela me deu uma resposta muito negativa (porém eu entendo) e isso me deixou muito triste me quebrou por dentro pq eu ainda sentia algo muito forte por ela e eu não mostrei isso e sempre que eu vou dormir lembro dela no meu lado podendo começar um bom namoro
Eu não quero mais passar por essa situação denovo e queria que homens e mulheres conversassem entre os outros para me ajudar.
E estou ficando tão triste que estou começando a seguir canais para ajudar com relacionamento e não quero que uma dessas dicas seja algo ruim e acabe com algo no futuro.
submitted by EnricoPorto to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 08:06 arrux1 Eu estou exagerando ou sendo c*zona? Pessoa morando com a família sem consentimento de todos

A minha vida quase toda morei com meus irmãos e minha mãe na casa dela (onde estou atualmente). Porém, em 2016 mudei-me para o Rio de Janeiro por conta da faculdade e fiquei voltando a minha cidade natal apenas nas férias. Com a pandemia consegui homeoffice do estágio e EAD e regressei a casa da minha mãe em março pois achei que seria uma boa ideia ficar mais próximo da minha família nesse momento (risos) e estou temporariamente aqui até agora...
Meu irmão mais velho arranjou uma namorada (eles namoram + ou - a 2 anos) que é sócia de trabalho dele. No inicio do relacionamento ela aparecia de vez em quando aqui em casa, e quanto mais a produção do trabalho deles aumentava mais a frequência dela por aqui tb aumentava. Eu nunca tive problemas com a presença dela antes, até pq passava a maior parte do meu tempo no Rio. Porém, no terceiro mês que regressei a casa da minha mãe, em meados de junho, comecei a achar estranho o fato que ela ficava 24/7 aqui em casa, comia, dormia, ia pro trabalho, voltava e ficava direto por aqui.. porém relevei por questão da pandemia... era compreensível. Meu irmão do meio começou a ficar um pouco incomodado com isso tb pq jamais em nossas vidas trouxemos parceiros para passar tanto tempo nessa casa (até pq no passado, nossa mãe nunca permitiu) e segundo ele, essa situação já estava acontecendo bem antes da pandemia (meu irmão do meio também tem namorada atualmente e ela só apareceu por aqui nesse período algumas poucas vezes). Para além dessa situação, eu não me sinto muito confortável quando pessoas que não são do convívio diário passam muito tempo no lugar onde moro interruptamente, sinto que é uma invasão de privacidade (isso acontece também no meu apartamento do Rio com visitas que ficam mt tempo as vezes, mas converso com minha house mates e sempre resolvemos as situações numa boa - moramos a 4 anos juntas).
O tempo foi passando, eles começaram a comprar uma cama nova, microondas... até que minha mãe hoje confessou pra mim que achava que a menina tinha entregado o apartamento dela e estava morando aqui em casa (ela faz univ fora e n tem família aqui). A questão é: quando eu ouvi isso, eu fiquei muito puta!
Cara eu achei um absurdo a situação. Como é que uma pessoa se muda pra casa que eu morei minha vida quase toda e não conversa com ninguém? Tipo, eu entendo que estamos numa pandemia, ok, mas a menina se mudou sem previsão nenhuma de volta e não falou nada sobre isso. Como é que alguém vai comendo pelas beiradas e do nada PUFF se muda pra sua casa? Eu achei bizarro pra crl sendo que nem noivos eles são nem nada, é um namoro de 2 fucking anos.
Eu me senti desrespeitada pois não fui consultada e dividi isso com minha mãe. Falei que não gostei da forma que as coisas foram feitas, como é que se mudam pra uma casa com uma família morando e não consultam os moradores? Ela me respondeu que achava que eles iam casar em breve pq "a menina queria muito" e como mãe, queria dar o apoio nesse momento.
A menina não conversou nada com minha mãe que ia se mudar pra lá e aparentemente ela não ta ligando muito pra isso... Porém minha mãe ficou chateada pq eu fiquei afetada. Mas eu não acho que estou errada... enfim, de qualquer forma já estou vendo passagens para regressar ao Rio no próximo mês pois meu trabalho vai voltar presencial em breve, mas está me preocupando o fato dessa situação se alargar por muito tempo... tenho medo de ter que voltar pra essa casa por questões financeiras no futuro (vou fazer de tudo para que não) e ter que conviver com mais uma pessoa que não escolhi (como se não já bastasse a relação conturbada com meus familiares). Eu jamais me mudaria pra casa dos pais de um namorado sem conversar com a família dele antes nem traria pra morar comigo assim sem mais nem menos. Enfim, vocês acham que eu estou exagerando? É legítima minha indignação?
Nota: Meu irmão mais velho já teve relacionamentos muito mais duradouros no passado de 5, 6 e 8 anos e isso NUNCA rolou antes, nunca tive esse problema com nenhuma delas. Nem com namorados meus ou namoradas do meu irmão do meio.
Nota2: Aparentemente essa menina quer muito casar com ele e eles se dão bem, mas não sei se meu irmão quer...
Nota3: Todos os moradores da casa são adultos maiores de idade.
submitted by arrux1 to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 15:02 LeastFudge9 Se querem uma dica, procurem saber o que buscam em relacionamentos antes de sofrerem por não estarem em um (ou de efetivamente entrarem em um)

Vejo muitos posts de "nunca namorei" por aqui, entendo cada um de vocês e digo que me vejo um pouco nesses posts também. Talvez meu post ajude. Isso aqui vai ser longo.
Sou homem, hétero e tenho quase 25 anos. Até os 22, nunca tinha namorado, nem transado, e entre essa idade e meu primeiro beijo (aos 11 anos de idade), eu havia beijado quatro garotas, uma delas talvez eu não devesse contar, pois foi uma amiga de minha mãe bem mais velha que praticamente me forçou a fazer isso quando eu tinha 14 anos. Mas ok, contemos quatro garotas dos 11 aos 22 anos. Isso me deixava triste nos mesmos moldes que vejo aqui em muitos posts.
No dia do meu aniversário de 22 anos, uma conhecida 16 anos mais velha avançou nas investidas por WhatsApp e me enviou nudes. A partir de então, foi tudo muito rápido, tive minha primeira vez com ela e foi fantástico. Ela estava em um processo de divórcio iniciado havia menos de um mês e tinha um filho de oito anos. Daí começa meu inferno.
Ela era uma mulher muito inteligente, bonita e, para me convencer a iniciar um namoro, praticou o famoso "love bomb", eu me sentia o cara mais foda do mundo, ela inflava minha autoestima de uma forma que ninguém jamais havia feito. Iniciamos um relacionamento sério e entrei no fogo cruzado de uma guerra que envolvia minha então namorada, o filho único dela de oito anos de idade e um ex marido extremamente agressivo e descontrolado.
Cheguei a receber ameaça por WhatsApp do tal ex, o filho dela levava recadinhos velados do pai pra mim, me ligava quando estava com os coleguinhas e me xingava das piores coisas e dos piores nomes possíveis (palavras que uma criança da idade dele não devia saber). Tudo isso enquanto frequentemente o garoto chegava da casa do pai quebrando a casa e gritando, eu acho que isso de esperar o inferno toda vez que ele ia pra casa do pai provavelmente foi o que me fez desenvolver um grau de ansiedade. E como já deve ter sido possível perceber, rapidamente eu ficava mais na casa da minha então namorada que na minha própria casa, por livre espontânea pressão.
Como se não bastasse, minha então namorada era extremamente controladora. Com o tempo, eu não podia mais conversar com outras mulheres, ela gritava comigo e quebrava a casa quando estava - nas palavras dela - "surtada". Pra ajudar a ilustrar, lembro-me que uma vez bocejei enquanto estávamos em um restaurante (EU organizei a ida, foi meu presente de dia dos namorados) e ela começou a brigar, perguntando se eu não queria estar ali (e então passei a ter receio de bocejar perto dela - e eu bocejava bastante, porque trabalhava e fazia faculdade).
Houve também uma situação em que recebi uma proposta profissional que significaria passar quatro meses em outro país. Ela surtou, passei uma noite em claro com ela gritando, quebrando a casa, tentando me expulsar de lá (como eu iria embora com a mulher naquela situação?). Enfim, foi um inferno, nem gosto de lembrar. Acabou que eu neguei a proposta profissional, ao mesmo tempo em que ela saiu falando para meus amigos (que viraram amigos dela também) sobre como ela, apesar de triste com a distância, achava uma oportunidade e um projeto muito importantes. E também encontrou meios de me manipular ao ponto de eu ficar na dúvida sobre por que eu tinha negado a proposta. Recentemente, depois de mais de um ano de terminados, ela disse pra uma prima minha sobre essa história e confessou que "fez de tudo que foi possível" para que eu não fosse. Me senti um idiota.
O cúmulo, na verdade, foi quando minha família alugou um sítio para comemorar o aniversário da minha irmã mais nova, a festa consistia em as pessoas mais chegadas ficarem um fim de semana inteiro neste sítio. Nessa época, minha ex já tinha desenvolvido uma posse sobre mim que incluía ter uma espécie de ciúme do tempo que eu dedicava à minha família (que já era quase zero). Justamente por isso, percebi que minha ex estava resistente a ir para este sítio, optei por fingir que não tinha percebido. No dia de ir pro sítio, como eu já suspeitava, ela estava em surto e passou a manhã inteira deitada. O filho dela estava ansioso pra ir, pois tinha piscina e outras crianças, então resolvi que iríamos eu e ele, disse isso pra minha ex e falei pra ela me ligar assim que quisesse ir, que eu a buscaria. O sítio ficava a uma hora de carro.
Vou resumir o que aconteceu, embora para passar o meu terror eu devesse contar detalhadamente. Basicamente, para fazer-me sentir-me culpado por ter ido sem ela, ela resolveu colocar fogo em umas toalhas (muitas!) no chão do banheiro, a ideia - isso tudo eu só concluí passados meses - era criar uma cena de horroincêndio pra quando eu chegasse. O que ela não calculou é que o álcool evapora rápido, então ela queimou o rosto, parte do cabelo, o pescoço, parte dos seios e da barriga. Ela me ligou em pânico e eu corri de carro tarde da noite em uma estrada deserta. Daí em diante nossos dias foram de hospitais (eu fiquei nos hospitais o tempo todo) e cirurgias plásticas. Ela não ficou com nenhuma sequela física. Depois que a ajudei com as queimaduras (em casa, eu fazia os curativos) e cicatrizes temporárias, terminamos (e no dia seguinte ao término ela bateu o carro e, pela forma como foi, parece ter sido proposital). Mas, enfim, consegui sair desse relacionamento abusivo depois de quase dois anos. Esse textão que escrevi é só uma porcentagem do que passei.
Menos de um mês após esse término, retomei contato com uma amiga (e paixonite platônica) de adolescência, acabou que ficamos e veio outro "love bomb". Caí nessa de novo pra depois de dois meses ela me tratar feito lixo, me dar respostas mal educadas, me ignorar e perder a paciência por coisas banais. Essa noite tive um pesadelo com o desdém dessa última ex (faz nove meses que terminamos) e acordei mal, por isso vim aqui desabafar. Felizmente, esse outro relacionamento não durou mais que quatro meses.
Hoje, olhando pra trás, percebo que caí nessas porque tenho uma carência advinda de um abandono afetivo na infância/adolescência, fruto de situações com meus pais. Ou seja, eu estive buscando suprir com relacionamentos uma carência paternal/maternal, então virei alvo fácil para pessoas complicadas ("love bomb" e visões idealizadas e fantasiosas de relacionamentos me fisgaram fácil). Eu estou bem atualmente e bastante feliz com vários projetos pessoais e profissionais, talvez esteja na melhor fase da minha vida nestes termos. No entanto, estou quebrado para relacionamentos e sei que precisarei de terapia para superar a resistência que adquiri com os traumas que relatei. A conclusão é: procure conhecer a si próprio e reflita bastante sobre porque não estar em relacionamentos lhe afeta, pois você pode estar tentando tapar um buraco que na verdade lhe fará ser presa fácil. Esteja em um relacionamento por ter descoberto alguém que te leve para frente, não somente por estar. Inclusive, não faz sentido estar em um relacionamento apenas porque você quer estar em um relacionamento. Não sei se estou sendo claro.
É isso, obrigado.
submitted by LeastFudge9 to desabafos [link] [comments]


2020.08.18 03:04 gatasou Destruindo relacionamento de terceiros

Oi, pra você que está lendo esta história. Tudo bem? Espero que sim. No ano de 2018, ocorreu um reajuste em uma das escolas do meu município, essa escola agora teria o período integral, assim fazendo com que alguns adolescentes se mudassem para a escola onde estudo. Eu estudava no período da tarde na classe do 8 ano. Bom na escola que tinha o período integral quantia apenas alunos do ensino médio, dai mais ou menos um grupo de 5 pessoas se mudaram para o 1 ano do ensino médio a tarde. Nesse grupo havia dois meninos que eram bem amigos, vou chamá-los de Rayano e Tatiano, eu achei o Rayano bem bonitinho, mas não tinha coragem de conversar com ele, porque eu tinha uns sérios problemas de baixa autoestima , era sério de verdade desde coisas simples até coisas mais extremas, exemplos: eu me comparava toda hora com a minha amiga porque na minha cabeça ela era simplesmente boa em tudo e também tinha todas as características físicas que um menino gosta, vou chamá-la de Cléo, porque ela meio que faz parte da história. O Tatiano mandou mensagem para mim ou foi eu que mandei mensagem para ele, não lembro direito, conversávamos muito éramos bem amigos e ele já sabia que eu gostava do Rayano. eu ficava o dia inteiro observando o Rayano na escola, para você ter uma noção eu não lembro de nada que estudei naquele ano só lembro que tinha um professor de história surper bom. Continuando o Tatiano contou para o Rayano que eu gostava dele isso foi no meio do ano, dai o Tatino deu uma ajuda para eu conseguir ficar com ele. A gente ficou no mês de outubro, eu e o Rayno era tão burros que ficamos dentro de uma sala na hora no recreio e basicamente todo mundo viu, deu quase um B.O, mas o Tatiano conversou com o espetor e ele deixou passar. No dia seguinte não fui a aula pois não estava muito bem, estava com um nó na garganta (vontade de chorar, não sei porque) um pouco de enjoo e com dor de cabeça, bom era minha ansiedade. O resultado foi, perdi o aniversário do meu amigo e ainda durante o dia que estava em casa recebi uma mensagem desse meu amigo que fazia aniversário dizendo “como você pode fazer isso??” eu sem entender nada perguntei do que ele estava falando ele disse “Esse seu fogo na bunda desmanchou o relacionamento do fulano” e eu perguntei o que aconteceu e ele me contou, resumindo, o Tatiano teria gravado um vídeo quando eu tava ficando com o menino lá e esse vídeo teria chegado, não sei como, na mãe de um amigo meu que achou que era a namorada do filho dela, porque eu sou bem parecida com a menina, bom a mãe do meu amigo fez com que ele meio que terminasse com a garota lá porque ela tinha certeza que era ela no vídeo, eles terminaram. E depois de tudo isso acabei descobrindo que o Rayano gostava da Cléo na verdade. E eu fiz coisas muito vergonhosas só para chamar atenção dele, uma vez inventei que tinha mandado uma carta para ele, era mentira mas realmente eu tinha escrito uma carta para ele, eu lembro que na carta tava escrito várias coisas nada a ver que não fazia sentido nenhum kkkkkkkk. E uma vez eu perguntei para a Cléo se eu podia ver um negócio no celular dela e ela disse que sim, dai eu fui no WhatsApp dela e procurei pelo nome do Rayano e fui até o começo da conversa para ver quem tinha mandado mensagem primeiro, e tinha sido ele, nesse dia eu fiquei muito triste, em casa eu chorei muito. Bom e foi assim que destrui um relacionamento, espero que tenham gostado e vocês não fazem ideia de quanto chorei quando basicamente colocaram a culpa em mim no término do namoro e ainda fico com essa paranoia de que o Rayano ficou comigo por pena. Bom é isso ;)
submitted by gatasou to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.17 05:18 DemonFranco Vivi por 20 anos preso em minha própria melancolia.

Olá, comunidade do Reddit! Esse é meu primeiro post aqui :) Meu intuito neste, especificamente, é conseguir pelo menos um pouco de calor humano (metaforicamente, claro) pois sinto que minhas feridas nunca foram cicatrizadas, desde a primeira delas.
Bom, pra começar minha história: minha infância foi marcada por conturbações no casamento de meus pais. A diferença de personalidade dos dois gerou brigas cada vez mais pesadas e incontroláveis. Chegaram ao ponto que já não existia mais companheirismo e meu pai começou a beber e trair minha mãe. Me recordo vividamente de cenas terríveis, como ele estar horas no banho a horas e quando entro pra ver se está bem, na verdade ainda estava de roupa e dormindo no chão molhado. Ou até momentos de alteração violenta onde, por medo, eu me trancava no quarto e ficava debaixo da coberta até o dia seguinte depois que ele saía pra trabalhar. Nunca fui violentado fisicamente (minha mãe, infelizmente, sim), mas acho que meu pai estava tão perdido dentro de si que esqueceu que tinha um filho, então eram raras as vezes que sequer trocávamos olhares ou palavras, e quando acontecia era frio e passageiro. Pra tornar tudo ainda mais tenso, nossa situação financeira nunca foi boa: vivíamos peregrinando entre aluguéis mais baratos, acumulando prestações não pagas e até mesmo alimento chegava a ser escasso. Minha válvula de escape eram meus avós, que moravam na mesma cidade e sempre me acolhiam com mimos. Meu avô, entretanto, morreu quando eu tinha 9 anos e isso foi um impacto enorme que passou despercebido: minha avó entrou em uma depressão que foi negligenciada até o ano passado (2019), quando finalmente tomou a atitude de visitar um psiquiatra e foi diagnosticada. As brigas entre meus pais cessaram, mas isso foi ainda pior pois os problemas que já existiam continuaram a crescer em silêncio. Eu não recebi diagnóstico algum, até porque sempre fugi dos psicólogos em que me jogavam, mas o efeito também foi claro em mim: emagreci quilos em semanas, já não tinha mais vontade de fazer a mais simples das tarefas como cortar cabelo ou sair na rua, me tornei cada dia mais introvertido. Alguns anos depois, meus pais enfim se separaram, mas antes me deram duas irmãs e um irmão (as únicas pessoas a quem posso dizer com sinceridade sentir amor incondicional). A esse ponto, eu me vidrava em videogames e mentia pra mim mesmo sobre a realidade que eu vivia e não queria aceitar.
Essa foi, digamos, a "primeira temporada" da minha história. A segunda foi marcada pela péssima e mal executada decisão de me declarar a uma garota por quem, desde moleque, fui apaixonado, mesmo sendo que não tínhamos nem amizade. Tudo o que eu tinha era um sentimento inexplicavelmente forte, e nenhum tipo de habilidade social pra sequer chegar nela com um simples papo agradável. Porém, ela aceitou meu pedido de namoro. E isso me destruiu, porque na verdade ela queria dizer não, só não disse por """"medo de me magoar"""" e revelou isso depois de 2 anos me iludindo com histórias do tipo "meus pais não me deixam namorar, tenho que focar na escola", etc. Enfim segui minha vida tentando, sem sucesso, superá-la. Felizmente, apesar de introvertido, dois de meus primos viraram meus amigos próximos e isso me ajudou a segurar todo aquele peso de sentimentos que eu não compreendia e mal sabia que tinha. Vivemos anos sendo os nerdolas da escola, sempre juntos e com mais ninguém, até que um desses primos se incomodou com esse estilo de vida (e com razão) e começou a fazer novas amizades; eu e meu outro primo resistimos a isso, o que o separou da gente. Continuamos sendo introvertidos até o penúltimo ano da escola, quando ele também se afastou de mim aos poucos sem razão aparente (hoje, depois de conversarmos, eu sei que era porque não tínhamos mais muito a ver como antes). Meu outro primo, agora extrovertido, se adequou à grande turma da escola facilmente e não demorou pra ficar popular - felizmente pra mim, isso não subiu à cabeça dele e continuamos ótimos amigos até hoje. Ainda nessa época, conheci na internet uma garota de São Paulo que, com uns bons meses de conversa, acabou desenvolvendo sentimentos por mim; eu, carente e introvertido, abracei isso com todas minhas forças e namoramos virtualmente, com vários vai e volta, durante 3 anos. Apesar de que eu me sentia melhor em ser desejado por alguém, essa garota também tinha sérios problemas com depressão e no final só puxamos o pior um do outro. Minha única conquista nessa época foi meu primeiro emprego, da onde tirei dinheiro para ir visitá-la.
E é aqui que eu considero ser a "terceira temporada". Viajei pra SP e passei quatro dias junto com a garota que por 3 anos desejei somente por fotos e vídeos. Mas quando voltei pra casa as coisas já não eram as mesmas: ela só me dava respostas evasivas e ríspidas, parecia até mesmo ter raiva de mim, sendo que, em minha visão, tínhamos conquistado outro nível em nosso relacionamento. Mas ela obviamente não pensava assim e terminou tudo com a seguinte frase: "Estou tirando as pessoas tóxicas da minha vida". Foi esse o estopim pra eu decidir ser extrovertido e começar a viver fora de meu quarto, e eu tive resultados rápidos: fiz novas amizades e até comecei um novo namoro, agora presencial com uma garota que realmente me admirava. Porém, fui perceber tardiamente que pouquíssimas dessas amizades me faziam bem - a mais danosa delas foi a de um feiticeiro três vezes mais problemático do que eu. Como sempre fui uma pessoa muito compreensiva e aberta, relevei seus defeitos gritantes e mantive a ''amizade'' pelo conhecimento esotérico que ele passava (por mais que grande parte deste conhecimento fossem delírios de grandeza de um feiticeiro egomaníaco). Depois de dois anos meu próprio corpo começou a recusar a presença desse sujeito, que insistia sempre em me acompanhar mesmo quando não era conveniente: comecei a ter constantes dores de cabeça quando estava em sua presença, meio que como um aviso do que já era óbvio: aquele cara não prestava. Aos poucos comecei a me aproximar mais da minha namorada e outros amigos como método de me afastar do sujeito, e curiosamente (ou não...), essas pessoas foram abruptamente saindo da minha vida, incluindo minha namorada (agora ex), que era a pessoa em quem eu mais confiava e me dedicava. Ainda inocente e o chamando de amigo, nunca imaginaria que ele poderia ter relação com tudo aquilo, mas não parou por aí: depois que a poeira abaixou e eu consegui superar toda aquela maré estranha de azar, ele ainda usou o nome de minha deusa pra me iludir e usar meu corpo (sendo essa deusa relacionada ao luxo e ao sexo, era um contexto perfeito pra ele). Eventualmente descobri que não fui sua primeira vítima, e toda a imagem de sacerdote sábio que ele outrora passou, do dia pra noite, virou nada mais que um charlatão desesperado. Essa foi a separação mais problemática de todas que eu já tive, pois enquanto eu me afastava cada vez mais, o ego ferido do sujeito nunca deixaria tal afronta passar em branco, e recebi cargas de energia pesada nos meses seguintes. 2019/2020 caprichou muito bem no quesito de desgraças, pois minha mãe, extremamente cabeça dura e ignorante, agora se recusa a trabalhar fichada mesmo sendo que tem três crianças pra sustentar, meu pai passa por cirurgias seríssimas pois contraiu câncer maligno no fígado e isso não deixou de atingir minha vó ainda viva, que tem problemas de coração e toma mais de 300 remédios por mês (palavras dela).
E agora aqui estou eu, solteiro, enganado pela maioria daqueles que chamei de amigos, com uma provável depressão mal resolvida e uma família abalada desde os primórdios de meu nascimento. Felizmente não tenho problemas com autoestima, o que já ajuda muito, mas ao mesmo tempo não tenho motivação em fazer nada que não seja sonhar com uma vida simples, leve e longe de tudo daqui. Hoje, especificamente, está sendo um dia difícil pois minha ficha caiu e tomei consciência da minha situação - chorei muito, escondido. Mas decidi fazer algo a respeito por mais simples que seja: criei uma conta na Twitch.tv pra criar conexões com outras pessoas enquanto jogo, e também este post como o maior desabafo que já fiz na vida. Na verdade, só de ter escrito tudo isso e lido logo após já estou melhor. Mas ainda me sinto sozinho e desamparado, não consigo buscar ajuda com meus familiares pois nunca fui de me abrir pra eles, nem ajuda profissional por falta de dinheiro, e depois de todas essas quebras de confiança fiquei extremamente seletivo a quem eu quero do meu lado, sobrando dois/três amigos com quem posso conversar (e mesmo assim somente meu primo que convive comigo desde criança sabe de toda minha história).
Quem estiver disposto a trocar experiencias e conversar, simplesmente por conversar, ficaria muito grato!
Gratidão a todos que, mesmo não enviando uma mensagem, leram até o final com atenção.
Blessed be. :)
submitted by DemonFranco to desabafos [link] [comments]


2020.08.15 19:22 bratyver O CORNO FAKE

Ola luba e o resto dos seres humanos da internet. A historia que vou contar hoje aconteceu ano passado, mas os acontecimentos me perseguem até hoje. Obs : sou gaucho se quiser fazer o sotaque
Tudo começou em um dia normal, e fui para a escola mas chegando lá fui informado que havia uma menina que estava afim de mim, eu não sabia quem era, já fiquei todo animado pois estou na seca desde sempre. Com o passar do tempo ficou bem obvio quem era a menina, mesmo ela não sendo o melhor espécime eu fiquei completamente apixonado. Então ela finalmente tomou coragem e veio me pedir em namoro. Agora que a merda começa. Ela era super timida e nunca tinha namorado, e eu sou uma pedra quando o assunto é se expressar. Um dia ela tentou me beijar e depois saiu correndo, no outro dia eu fiz a mesma coisa. Bom, ela deduziu que eu não estava gostando dela e descidiu terminar (o namoro durou 3 dias), até ai tudo bem, fiquei triste na primeira semana mas passou. Eu desabei quando fiquei sabendo que ela estava namorando um amigo meu uma semana depois de me largar. Sempre que eu e meus amigos chegavamos perto dos dois ela nos batia e nos jogava pedras como um animal defendendo o território. Nessa mesma época outro amigo meu estava me ameaçando de se vingar de algo que eu nem mesmo tinha feito, então eu tive a grande ideia de me "vingar" dele primeiro, e esse plano ainda teria um bonus, acabar com o relacionamento nojento da minha ex do meu ex amigo, já que oq o amigo que estava me ameaçando estava ameaçando contar algo para a minha ex. Eu peguei então as prints que ele havia me mandado da conversa deles para me ameaçar, e forjei conversar fakes que ensinuavam que epes tinham um caso. Chegando na escola eu fui direto mostrar para o nosso corno as prints e ele ficou simplesmente louco de raiva, foi um verdadeiro show, mas um outro amigo meu que sabia de todo o plano acabou com a minha diversão e explicou tudo. No final eu apanhei e sai como o ruim da historia. Eu tinha todas as prints das conversar que eu criei, mas perdi tudo quando troquei de celular. 3>
submitted by bratyver to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.12 15:44 sairennorebi Fui a babaca por contar a história de como eu e meu marido nos conhecemos? #Turmafeira

Oi Luba, editores, possível convidado virtual, gatas, papelões sobreviventes e turma que está a ver, quero muito participar por que preciso saber se eu fui a babaca na história.
Bom Luba, eu tinha uns 18 anos na época e minha amiga a mesma idade que eu, vamos chama-la de Karla para não expor. Nós éramos melhores amigas desde crianças. Somos da mesma igreja e, após eu ter um término com meu ex namorado entrei pra um dos grupos que tinha na minha igreja que ela participava. Assim que eu entrei reparei em um rapaz que também fazia parte e logo eu dei uma desculpa para pegar o número dele e começamos a conversar cada vez mais, vamos chamar ele de Carlos. Um tempo depois que estávamos conversando comecei a gostar dele e como eu e a Karla éramos melhores amigas eu fui contar pra ela. Quando contei ela disse que também gostava dele mas que não tinha tido coragem de chegar nele. A questão é que a Karla realmente é mais tímida que eu, mas ela conhecia ele antes de mim e não tinha me falado nada. O clima ficou meio tenso por um tempo e eu até pensei em me afastar do Carlos, afinal não queria perder a amizade dela, mas um tempo depois, quando as coisas estavam começando a ficar mais normais, Calos veio me falar que o melhor amigo dele estava gostando da Karla, vamos chama-lo de Tiago e que queria saber como chegar nela. (Ps. Carlos descobriu que eu e a Karla estávamos gostando dele pela mãe do Tiago, ela era líder desse grupo da igreja que participávamos.) Tiago também era muito tímido então não tinha muita coragem de chegar na Karla mas com algumas dicas ele conseguiu e os dois se aproximaram. Eu e o Carlos começamos a namorar e pouco tempo depois a Karla e o Tiago também, o que era bem legal por que saíamos juntos e éramos um grupo de melhores amigos. Tenho que deixar claro também que Tiago, com o passar do tempo começou a dar sinais de ser meio babaca com a Karla, como fazer ela sair de um emprego que ela estava ganhando muito bem pra ir pra outro que ela ganharia salário mínimo só porque no primeiro ela tinha que ir super arrumada pro trabalho (era corretora de imóveis), isso por que ela ainda está não era formada e tinha que pagar sua própria faculdade por que os pais dela não tinha condição, enquanto ele era formado e não trabalhava e ficava o dia todo em casa jogando.
Passaram-se anos nesse meio termo e Carlos e eu começamos um relacionamento a distância por que ele foi estudar medicina em outro país, e mesmo assim continuávamos juntos e com uma relação muito boa. No último ano, eu já tinha 22 anos, estava nas férias e Carlos estava comigo e fomos no aniversário da irmã de Tiago (ela era muito minha amiga e do Carlos também) e tinha outra amiga nossa lá, vamos chama-la de Larissa, ela veio me contar que tinha começado um relacionamento e que tinha começado meio errado e que tinha sido muito complicado e que estava com medo de por ter começado errado dar tudo errado (detalhe eu estava noiva do Carlos nesse dia e já estávamos próximo do casamento). Com ela me contando isso resolvi contar pra ela como foi o começo do meu relacionamento com o Carlos e como foi difícil porque eu tinha uma amiga que gostava dele, mas eu troquei todos os nomes e não expus ninguém, para mostrar pra ela que as vezes começa difícil como forma de provação pra ver o quanto as pessoas se gostam mesmo, mas que no final podia dar certo. O problema foi que a Karla e o Tiago estava perto e eu não vi, ela escutou tudo e ficou muito puta comigo. Fiquei sabendo depois que o Tiago tinha brigado muito com ela, falando que ele tinha sido o resto, que na verdade ela queria ter ficado com o Carlos (eles já tinham mais de 3 anos de namoro), sendo que ele sempre soube do começo da história, até por que foi a mãe dele que contou tudo pro Carlos. Resumindo ela ficou muito brava comigo e hoje não olha nem na minha cara, detalhe, eles eram nossos padrinhos de casamento e depois disso tivemos que achar outro casal às pressas por que estava perto do casamento. Durante a briga eu disse pra ela que ela estava deixando o Tiago decidir tudo da vida dela inclusive quem ela seria amiga e por isso ela estaria se afastando de mim, mas ela diz que eu inventei toda aquela história e que ela nunca tinha gostado do Carlos, sendo que tem outros amigos nossos que viveram esse momento conosco e sabem que é tudo verdade.
Atualmente estou casada com o Carlos e estamos vivendo muito feliz com ele no Peru (onde ele faz medicina). Ela continua o relacionamento com o Tiago e até onde eu sei ele está morando em outra cidade mas ainda controla cada movimento dela, não deixando ela ter amigos que ele não queira e nem fazer nada que ele não deixe. A mãe dela (muito amiga da minha mãe) detesta o Tiago e tudo que ele tem feito com a filha dela, que antes era uma menina feliz e alegre, agora vivia triste e chorando.
Então, eu fui a babaca por ter contado a história de como eu e meu marido nos conhecemos para uma amiga?
submitted by sairennorebi to u/sairennorebi [link] [comments]


2020.08.06 06:08 denesfernando Sou Babaca Por Querer Que O Namorado Da Minha Amiga Não Passe Mais A Quarentena Aqui E Volte Pra Casa Dele?

Olá Luba, editores, gatas e Turma. Essa história que vou compartilhar aqui é recente, ainda estou tratando em terapia, mas ela começa um pouquinho lá atrás.
Um ""pouco"" de background para situar a todos de onde tudo isso começou.
Em 2013 comecei namorar um cara que vou chamar de Karen, por ele ser muito, mas muito CUSÃO (inclusive, ele se parece muito com você Luba e por vocês serem tão idênticos, eu passei um bom tempo sem assistir o canal, pois não conseguia te ver sem lembrar dele). Mas, enfim, em 2015 ele e o grupo da faculdade dele decidiram morar todos juntos em uma casa perto da faculdade, pois estava exaustivo para todos trabalharem em pontos distintos da cidade (São Paulo, para se alguém quiser se situar).
Então, em janeiro de 2016, eles se mudaram e eu ia para lá aos fins de semana, até que acabei me mudando para a casa em Junho do mesmo ano, no dia do meu aniversário.
Pois bem, foi uma fase horrível da minha vida por causa do meu ex, terminamos em maio de 2017 e tive que sair da casa. Esse meu ex era um abusador, um aproveitador, a pior pessoa que eu poderia ter conhecido na minha vida. Os abusos psicológicos que ele cometeu comigo, afetaram totalmente minha confiança e em como eu viria a me relacionar com outros caras, fora as crises de ansiedade que eu arrasto até hoje.
Mas então, eu fiquei amigo dos amigos dele da faculdade e em especial da Karls que virou minha melhor amiga.
Em 2017 eles terminaram a faculdade e em 2018 o contrato da casa venceu e eles finalmente poderiam se mudar, áquela altura ninguém suportava mais olhar pra cara do Karen.
Então, foi nesse momento, que a Karls e o Akarls me chamaram para vir morar com eles numa nova casa. Sem o Karen. E hoje nós três vivemos como uma família feliz com os nossos pets.
2019
Eu conheci um cara, eu vou chamar ele de Lars.
Lars e eu começamos a trocar mensagens, se conhecer, nos aproximarmos. Até então, antes dele, todos os outros caras que eu acabei ficando, não davam certo, (tem muito gay problemático nessa cidade). Mas Lars foi diferente, conforme nos conhecíamos, ele ia transpondo todas as muralhas que eu usava como defesa, pois meu maior medo seria voltar para um relacionamento abusivo, tóxico e doentio.
Com o Lars eu fui bem devagar, realmente queria conhecer ele, pra ver se o que eu estava sentindo era o certo e se ele não iria me fazer mal.
Nesse tempo conhecendo ele, eu desabafava com Karls todas as minhas inseguranças, pois ela tinha vivido todo o meu drama com o meu ex, ela sabia dos meus medos, receios, inseguranças em me relacionar com alguém e ela me dava todo o apoio, pra poder voltar a acreditar e saber que nem todo mundo é igual o Karen, que na verdade eu dei azar com o Karen, mas que não seria assim de novo.
Depois de tantos embates sobre minhas agruras eu acabei me desarmando e me permiti começar algo com o Lars.
Um mês e meio depois, finalmente decidi trazer ele em casa, para conhecer meus amigos e 😏.
Então, foi nesse fim de semana de novembro de 2019 que coisas aconteceram.
Depois de ficarmos, acabei aceitando os meus sentimentos por ele, pensei que depois de tanto tempo solteiro, passando por aventuras fracassadas com pessoas que não se encaixavam, onde a química só proporcionava uma reação inicial. Ali estava talvez o momento de poder compartilhar momentos com alguém.
Mas aquele início de sonho desmoronou muito rápido. No domingo quando ele estava pra sair para trabalhar, Lars me contou que iria para o Beto Carrero com um amigo. Fui pego de surpresa, pois ele não havia mencionado nada nas nossas conversas durante a semana.
Na época, Lars trabalhava como bartender numa cafeteria e reclamava de trabalhar muito, não ter finais de semana livres e só folgar nas segundas-feiras.
Como não tínhamos oficializado nada, nossa primeira vez foi na noite anterior e o fato de estar disposto a querer começar a construir uma relação tinha sido algo que eu havia arrazoado no meu coração, achei absurdo demais eu questionar porque ele não tinha me falado nada antes.
Tudo bem, ele iria no Beto Carrero com um amigo, logo após sair da cafeteria. Pegaria o ônibus na estação do Tietê no domingo a noite, passaria o dia no parque, já que a folga seria na segunda, e na segunda a noite ele voltaria e iria trabalhar na terça-feira de manhã. Eu, pelo menos, imaginei que seria assim.
Na segunda-feira, eu fui trabalhar normal, vi as fotos dele no Beto Carrero, os stories no Instagram aparentemente nada de estranho, mas a primeira coisa que me chamou a atenção foi o fato dele não ter postado um único story com o amigo, mas até aí, se eu encucasse com isso, seria uma atitude tóxica e eu não queria isso. Numa relação deve existir confiança.
Nós não nos falamos o dia inteiro, pois eu não iria ficar o importunando num passeio como aquele, que ele aproveitasse o máximo possível. Foi quando às 18:00 eu resolvi mandar uma mensagem para ele, já que eu estava saindo do trabalho.
A mensagem era mandando um "oi" e desejando que ele tivesse se divertido bastante e fizesse uma viagem tranquila de volta.
Foi quando ele me respondeu que não voltaria aquela noite, que ele iria para Balneário Camboriú com o amigo passear de barco. Eu fiquei completamente sem reação, foi um choque. Ele só reclamava de como o trabalho explorava ele, não era flexível e do nada, de uma viagem totalmente espontânea que aconteceu aleatoriamente pra aproveitar um dia de folga num bate e volta, surgiu uma folga no dia seguinte.
Eu não tive como não ser arrastado de volta para os tempos do Karen, onde eu fui trouxa por anos, onde ele matava aula pra transar na escada da faculdade, dizia que ficava até mais tarde no serviço pra não pegar trânsito, mas na verdade ia para dates furtivos de apps de pegação (inclusive tenho uma história ótima com relação a isso da época do Karen), enfim, meu cérebro e meu coração ligaram o sinal vermelho, as sirenes começaram a zunir no meu ouvido, a última coisa que eu queria era ser enganado como fui na minha última relação.
Voltando, Lars não falou mais nada depois disso, fui pra casa naquele dia. Na terça-feira de manhã, outro sinal de alerta, não tinha nenhuma mensagem no celular. Isso poderia ser irrelevante, se a gente não tivesse passado o último mês e meio, trocando várias mensagens e memes da hora que acordava até a hora de dormir. Me senti mal, a conversa tinha morrido da noite para o dia, fiquei angustiado, pois eu estava começando a gostar dele e aquilo mudou da noite para o dia.
Terça-feira se foi, ele em Balneário Camboriú, fotos e stories no Instagram se seguiram e nada desse amigo misterioso.
Finalmente, a noite ele estava voltando e mandou uma mensagem dizendo que estava exausto, mas estava voltando. Nesse momento, minha mente já tinha formulado mil e uma histórias, mas resolvi ser prudente, apesar da angustia que estava sentindo.
Foi difícil dormir aquela noite, na manhã seguinte, ele mandou uma mensagem dizendo que havia chegado, estava exausto, mas estava indo trabalhar.
Nossa conversa, já não era a mesma, algo tinha mudado, as palavras ou a ausência delas são um termômetro para o coração, escrever para outra pessoa é um ato de conexão e o nosso elo havia se rompido.
Foi quando resolvi confrontá-lo.
Segue abaixo a conversa no whatsapp:
[28/11 11:56] Denes: Desculpa, Lars.
[28/11 11:56] Denes: Eu não sei de fato o que aconteceu
[28/11 11:56] Lars: Pelo o que ?
[28/11 11:56] Denes: mas desde terça que eu sinto que nossa conversa morreu
[28/11 11:56] Lars: :(
[28/11 11:56] Lars: Eu que peço desculpas
[28/11 11:57] Denes: se vc puder me dar uma luz
[28/11 11:57] Lars: Questão de conversa tbm não sei ... :(
[28/11 11:58] Lars: Não quero ser cuzao contigo
[28/11 11:58] Denes: me diz o que tá acontecendo
[28/11 11:59] Lars: Gosto olhando no olho
[28/11 11:59] Lars: Gosto de vc
[28/11 11:59] Denes: talvez não haja olho no olho se eu não entender o que está acontecendo
[28/11 12:00] Denes: eu tb descobri que estou gostando de vc
[28/11 12:00] Denes: descobri de uma maneira bem ruim
[28/11 12:00] Denes: só quero que vc me diga
[28/11 12:00] Denes: sem medo
[28/11 12:02] Lars: Eu recebi uma ligação de alguém antes de viajar que me deixou balanceado
[28/11 12:02] Denes: prossiga
[28/11 12:02] Lars: Não gosto da ideia por aqui
[28/11 12:03] Lars: Mas tá bom ...
[28/11 12:03] Denes: por favor, agora que começou, não pare
[28/11 12:03] Lars: Pouco antes de conhecer vc eu tinha acabado um relacionamento ...
[28/11 12:03] Denes: hum
[28/11 12:04] Lars: E tipo ainda algo que me deixa balançado e tal ...
[28/11 12:05] Denes: entendi
[28/11 12:05] Denes: ah...
[28/11 12:05] Lars: E tipo não quero mentir pra vc
[28/11 12:05] Lars: Nem ser um cuzao contigo me entende
[28/11 12:05] Lars: Quero ser sincero sempre
[28/11 12:05] Lars: Não só com vc mas comigo mesmo
[28/11 12:06] Denes: então, o livro de Harry Potter que está com vc, foi um presente de um amigo meu que faleceu esse ano, será que posso pegar com vc na catraca amanhã da Santos Imigrantes
[28/11 12:06] Lars: Sim ... Claro ... Mas queria conversar mais com vc pessoalmente
[28/11 12:06] Lars: Se não se importar
[28/11 12:07] Lars: Tenho um presente pra vc
[28/11 12:07] Denes: eu vou me importar
[28/11 12:07] Denes: por favor, sem presentes
[28/11 12:07] Lars: Tudo bem :(
[28/11 12:09] Denes: amanhã as 8:30 te encontro na Catraca
[28/11 12:09] Lars: :( eu lhe entendo sabe ... Mas confesso que gosto de vc e queria que vc permanecesse na minha vida independente de qualquer coisa
[28/11 12:09] Denes: não será possível
[28/11 12:09] Lars: Tudo bem eu entendo vc ... :(
[28/11 12:09] Lars: Me desculpa
[28/11 12:10] Denes: te encontro amanhã na catraca sem falta
[28/11 12:21] Lars: Hj vc sai que horas do trabalho?
[28/11 12:24] Denes: Desculpa, Lars. Mas eu só pretendo te encontrar para pegar o meu livro. Não, temos nada para conversar. Você não me deve satisfações, justificativas ou esclarecimentos. Apenas o meu respeito. Mas, mesmo assim. Esse ponto final precisa ser colocado.
[28/11 12:25] Lars: Tudo bem eu entendo e respeito vc ... Falei de hj pq posso te entregar hj o livro
[28/11 12:25] Lars: Ele está comigo aqui no trabalho
[28/11 12:26] Denes: Eu saio às 18:00
[28/11 12:26] Lars: Posso te entregar hj o mesmo horário ... Na estação melhor pra vc
[28/11 12:27] Denes: Que horas na Santos Imigrantes vc vai passar por lá?
[28/11 12:27] Lars: Umas 19h a 19:30
[28/11 12:28] Lars: Mas espero a sua hora
[28/11 12:28] Denes: Okay, as 19:00 estarei lá
[28/11 12:28] Denes: Se chegar antes estarei sentado em algum dos bancos da plataforma
[28/11 12:29] Lars: Tá bom
[28/11 12:29] Lars: Sei o que vc vai falar ... Mas desculpas :(
Quando ele falou dessa ligação do ex e ficou balançado, eu senti uma enxurrada de sentimentos negativos, o tsunami de chorume que eram as mentiras do Karen voltando a tona. Todas as desculpas esfarrapadas, parecia que eu estava vivendo tudo outra vez.
Eu estava cego, na gana de não querer cometer os mesmos erros do passado, acabei sendo seco, duro e intolerante, condenando um pelos erros de outro.
Eu já tinha sentenciado dentro de mim que aquela viagem foi algo que ele tinha programado com o ex e que tinha ido com ele e que eles tinham se acertado e que ele queria me manter como step se nada desse certo. Enfim…
Nesse mesmo dia, fui buscar o meu livro (um fato curioso, esse livro que foi presente de um amigo que veio a falecer em 2019, foi um presente pra me lembrar o quanto eu sou uma pessoa corajosa, era a edição de 20 anos da Pedra Filosofal nas cores da Grifinória e dentro ele escreveu a famosa frase da Luna "As coisas que perdemos sempre acabam voltando para nós. Mas nem sempre na forma em que pensamos." https://imgur.com/a/ebJFd2U
Ironicamente, quando paro pra olhar isso em particular, penso na grande ironia de tudo.
Eu cheguei antes na estação, fiquei esperando, sentado num banco na plataforma, vendo vários trens passando, várias pessoas descendo na estação vindo depois de mais um dia de trabalho. A minha ansiedade estava a mil, eu queria chorar, estava angustiado com tudo aquilo, pior, sem entender como "tinha cometido" o mesmo erro outra vez.
Ele chegou uns 15 minutos depois, estava com o livro na mão, eu peguei o livro e então ele me estendeu os braços pedindo um abraço, fiz com ele o que eu devia ter feito com o Karen, olhei para ele com a minha pior cara de desgosto e nojo e falei "Adeus", virei as costas e deixei ele lá.
Hoje, não me orgulho do que eu fiz, sinto vergonha quando penso, mas para que vocês entendam aquele gesto, mesmo ele não sabendo, era algo traumatizante, no término com o Karen, quando coloquei minhas malas e meus livros no táxi, ele chegou até mim e na maior cara de pau, na sua maior interpretação pra burguês ver, ele me pediu um abraço e o trouxa aqui cedeu esse abraço, então ele sussurrou no meu ouvido "Sou eternamente grato por tudo o que a gente viveu e você vai sempre poder contar comigo para o que você precisar" e quando eu precisei o que eu ouvi? "Não tenho obrigação nenhuma de te ajudar."
Quando eu saí da estação, bloqueei o Lars em todas as redes sociais, Facebook, Instagram, Whatsapp e até o número dele pra ele não me mandar SMS ou ligar. Não queria nunca mais ouvir falar dele pelo resto da minha vida.
Alguns dias se passaram e a Karls me contou que Lars havia mandado mensagem para ela no Instagram dizendo que estava preocupado comigo, queria falar comigo e eu irredutível falei que nunca mais queria saber nada a respeito dele.
Então ali eu tinha colocado uma pedra em cima desse assunto, vida que segue.
Dezembro de 2019
Karls é uma garota muito linda, mas em todos esses anos de amizade ela só se envolvia com os piores caras do Tinder, uma fase da vida dela que fazemos piada, mas que se você olhar atentamente, era bem triste.
Ela tinha o sonho de conhecer um cara bacana, compartilhar momentos, viver toda aquela fantasia de namoro, dormir abraçada, assistir anime, cantar músicas da Disney e cozinhar todos os pratos possíveis de todos os programas de culinária que existem no mundo.
Depois de anos, esse cara apareceu. Vamos chamá-lo de Darls.
Darls é um cara super carismático, que faz amizade por onde ele passa, falador, contador de piada, solicito, uma pessoa que todo mundo iria adorar ter como amigo.
JANEIRO 2020
Parecia que Darls sempre esteve nas nossas vidas, Akarls e eu o recebemos de braços abertos, pois víamos o quanto ele fazia Karls feliz.
Logo ele começou me pedir dicas e mais dicas de coisas que fariam a Karls feliz e nesses 5 anos de amizade eu era a pessoa que mais sabia de tudo o que a Karls gostava.
FEVEREIRO 2020
Eles oficializaram o namoro, (meio rápido, mas…), então ela entrou numa tour para conhecer todas os amigos dele, pois ele queria apresentar a namorada para as pessoas importantes na vida dele.
Darls mora a 35km de distância, num bairro distante, 2 horas de viagem no mínimo, mas ele sempre estava vindo passar mais tempo aqui.
MARÇO 2020
Pandemia chegou, isolamento social foi instaurado, pessoas em casa. Eu sou editor de vídeo, então estou trabalhando em casa desde que esse inferno começou. E quem acabou vindo para cá, também? Exatamente, Darls.
A companhia dele era agradável, e por vermos Karls feliz, nada objetamos, aceitamos naturalmente a estadia dele aqui. Mesmo que nunca tenhamos conversado isso entre nós, foi natural olharmos para a felicidade dela.
ABRIL 2020
Um mês de quarentena, eu sou uma pessoa ansiosa. Solteiro que passou da barreira dos 30, já havia sentenciado que não conheceria ninguém e morreria só, pois já estava sem esperança de conhecer alguém em um mundo sem um vírus mortal, imagina em um mundo onde estar perto 2 metros de alguém pode ser sua sentença de morte.
Eu comecei entrar numa crise terrível, comecei trabalhar demais, a fazer 12 horas de trabalho por dia e no meu tempo vago eu comecei a assistir todos os filmes e curtas gays já foram produzidos no mundo. E nisso, fiz a burrada de assistir um filme que superestimei por anos.
Brokeback Mountain.
'O que eu fiz da minha vida?'
Eu fiquei tão mal, mas tão mal, que naquela noite eu fui dormir chorando e os dias que se seguiram eu tive tanto remorso pelo final daquele filme, que certo dia eu comecei chorar na frente da Karls e do Darls enquanto a gente almoçava.
No final de abril, meu tio implorou que eu fosse na casa dele, pois estava tendo um problema entre minha mãe e minha irmã e ele estava preocupado da minha mãe acabar se metendo em um avião e vindo pra São Paulo no meio de uma pandemia. Fui, como se eu já não estivesse colapsando, ainda tinha que resolver o problema de outras pessoas.
Naquela semana, eu assisti um vídeo, tenho 80% de certeza que foi no LubaTV os outros 20% acho que foi no canal do Henry Bugalho, que falava sobre perdão, algo do tipo "se não perdoamos, do que adianta pedirmos desculpas" e eu já estava muito reflexivo.
De noite, eu estava no apartamento do meu tio, quando recebi uma notificação de que alguém tinha me seguido no Twitter.
Abri a notificação e vi que era o Lars me seguindo quase 6 meses depois. Ele não tinha twitter e tinha criado uma conta por causa da quarentena.
Minha primeira reação foi bloquear ele, mas aí bateu aquele turbilhão de coisas acumuladas nessa quarentena. O final de Brokeback Mountain, a fala sobre perdão e um detalhe sobre o Lars que pesou muito, ele tem diabetes, acho que é um tipo raro, ele desenvolveu super novo, ele toma dois tipos de insulina, ele é grupo do risco.
Sentei no sofá e me perguntei, 'o que ele queria depois de todos esses meses? Ele não entendeu o meu "Adeus"?'
Pois, bem. Fui até o Instagram, desbloqueei ele e mandei a seguinte mensagem:
"O que você quer?"
Ele levou uma meia hora pra me responder, o 'digitando…' parecia eterno.
Resumindo, ele falou que se importava muito comigo, que eu marquei a vida dele, que nunca quis se distanciar de mim, que jamais foi a intenção me magoar com o que quer que tenha acontecido e que nunca dei a oportunidade dele se explicar.
E eu respondi, que não importava o que ele tivesse para me dizer, não ia mudar a opinião que eu tinha sobre ele.
Ledo engano, meus caros.
Fui dormir às 4 da manhã, tirei tudo de dentro de mim, tudo o que eu inventei na minha cabeça. Porque no meu relacionamento anterior eu ouvi tantas mentiras, que acabei jurando que qualquer um iria mentir para mim, era o único referencial que eu tinha.
Só para que vocês saibam, era realmente um amigo, as fotos que ele tirou junto com o amigo no Beto Carrero, foram todas no celular do amigo a folga da Terça-feira, o chefe dele estava devendo uma folga para ele e como ele não iria poder tirar essa folga a mais do que as que estavam previstas para Dezembro, o chefe deu a folga pra ele na terça para que ele aproveitasse mais um dia de viagem. E sim, o ex dele ligou, ele ficou balançado, pois eles tinham tido uma história recém terminada, mas ele me contou, primeiro porque eu insisti, mas também porque ele não queria mentir pra mim, já que eu tinha todo esse problema com mentiras, então ele queria ser honesto comigo desde o início e que nunca foi a intenção dele voltar com o ex, tanto que ele não voltou, ele queria estar comigo, e que mesmo tendo passado todo aquele tempo ele nunca tinha me esquecido e não tinha desistido de mim.
Eu falei para ele que não sabia como reagir a tudo aquilo, disse que não sabia se seria capaz de confiar nele. E que ele não tivesse esperança, mas que eu iria refletir sobre tudo aquilo.
Então eu voltei pra casa e compartilhei a história com Karls e Darls.
Karls ficou meio com o pé atrás, mas Darls me apontou os erros que eu cometi, me fez enxergar o quanto eu tinha exagerado pelo medo e desconfiança que eu tinha, que não tinha nada a ver com Lars e minha ficha caiu.
Agora, tudo o que me restava era o meu orgulho, eu precisava passar por cima disso.
Voltei a conversar com Lars, aos poucos, foi difícil no início, mas ele foi muito tolerante, eu expliquei que não estava sendo fácil voltar a conversar com ele, mas que compreendi que muito daquela situação era culpa minha.
Ele começou a me mandar mensagens de manhã e a noite, de bom dia e boa noite e esporadicamente algum meme. Foram duas semanas conversando quando houve a necessidade da gente se ver. Eu não sabia como iria reagir.
Sim, ele viria aqui em casa no meio de uma quarentena, mas antes que cresça os julgamentos, moramos próximo um do outro, ele viria a pé, sem pegar nenhuma condução e num horário de pouco fluxo.
MAIO 2020
Então comuniquei que ele viria aqui em casa para Karls, Akarls e Darls. Aparentemente, achei que todos tinham recebido a notícia de bom grado.
Ele veio, a primeira coisa que ele fez foi ir para o banheiro tomar banho, com Covid não se brinca. Depois, sentamos e conversamos, e mais uma vez, eu falei tudo de novo, dessa vez olhando no olho, colocando tudo a limpo, uma conversa franca, contei de todas as impressões que eu tive de tudo o que aconteceu, como a narrativa se construiu na minha cabeça e porque agi da maneira que agi.
Em contra partida, ele disse que estava tudo bem, disse que ficou muito chateado, mas os amigos dele conversaram com ele dizendo que tinha um motivo para eu agir como eu tinha agido. Ele me falou que nunca me esqueceu e queria ter uma oportunidade de conversar comigo e esclarecer as coisas, pois sabia que tudo tinha sido um grande mal entendido. Ele falou que mandou várias mensagens para a Karls, mas não obteve resposta. E quando ele me mandou o convite no Twitter, ele disse que seria a sua última tentativa de se aproximar de mim, se não desse certo, ele mesmo desistiria de tudo.
Ele passou três dias aqui em casa, eu não me abri tanto com ele com relação a isso, mas eu senti muito remorso por como as coisas aconteceram por minha causa.
Outra coisa, lembra na mensagem, quando ele falou que tinha um presente para me dar e eu falei que não queria? Ele trouxe o presente, ele guardou o presente todo esse tempo e disse que toda vez que via o presente, ele lembrava de tudo o que a gente viveu e a coisa que ele mais queria era me dar esse presente, que ironicamente ele comprou na viagem para o Beto Carrero.
Era um funko do Harry Potter, já que eu amo muito Harry Potter. (Não, não sou transfóbico, eu amo Harry Potter desde 2000). http://imgur.com/gallery/cah0Ry7
Ele voltou pra casa dele. Continuamos a nos falar, reatar laços, ter essa troca.
Compartilhei minhas impressões com Karls e Darls, eu estava relutante, desacreditado. As pessoas subestimam relacionamentos abusivos, mas a gente carrega coisas por anos, os estragos são terríveis, estava eu provavelmente estragando uma oportunidade de ser feliz por medo de ser feliz.
As coisas foram devagar, estávamos conversando de nossas rotinas na quarentena, ele o quanto sentia falta do trabalho e não aguentava mais assistir séries e eu o quanto estava trabalhando e engordando, já que editor de vídeo trabalha em casa, praticamos isolamento social antes disso "estar na moda" (✌️ salve editores do canal, eu juro que tô escrevendo essa história que já passa de 4 mil palavras, pensando se realmente o Luba lerá essa história na Turma-Feira, fico imaginando no trabalhão que vocês vão ter pra editar, se eu puder pedir, posta a Timeline pra eu ver como ficou no final, curto muito timelines [Sim, pra quem não entende, isso é meio creep]).
JUNHO 2020
Lars voltou, veio para estar comigo no meu aniversário, inclusive ele me presenteou com Find Me do André Aciman, ele disse que queria me dar a muito tempo, pois em novembro do ano passado eu estava lendo Call me by your name e eu estava namorando pra comprar o livro quando fosse lançado, mas não deu nem tempo dele poder comprar na época.
No meu aniversário, resolvi cozinhar para comemorar, fazer escondidinho de frango. Eu estava de folga e queria fazer algo especial para Karls, Darls, Akarls e Lars. Eu passei a tarde e começo da noite cozinhando e Lars me ajudando.
Então, aconteceu o estopim de todo o caos.
Karls e Darls desceram e viram que o escondidinho não estava pronta ainda, ela fechou a cara e disse "Nossa, ainda não está pronto?". Depois eles fizeram um sanduíche e comeram e subiram, bastou aquilo pra me entristecer, até entendo que ela poderia estar com fome, mas ela bater porta de armário e a porta da geladeira acabou todo o meu ânimo, me senti super mal.
Comi aquele escondidinho triste, o clima na mesa estava tenso e na boa o que era pra ser uma comemoração no que eu acreditava ser entre família, foi a porcaria de um jantar de aniversário que eu perdi tempo fazendo.
Lars voltou pra casa dele, continuamos nos falando e estreitando os laços, aproveitando a companhia um do outro, e finalmente no meio de toda essa situação de merda que estamos vivendo no planeta, senti uma esperança de que talvez tudo daria certo, pelo menos uma vez.
Mais uma vez, ele veio passar o fim de semana aqui em casa, e foi divertido, assistimos filme, contamos piadas e o melhor, eu estava podendo dormir abraçado com ele, por a cabeça no travesseiro e não me sentir só.
JULHO 2020
O mês do caos, eu odeio Julho, por tantos motivos, sério. Eu tenho inúmeras histórias de desgraças nesse mês que PQP (Gif da Xuxa).
Lars me mandou mensagem dizendo que ele teve uma briga terrível com o sobrinho dele, na briga eles só faltaram sair na porrada, ele falou que estava mal por estar na casa da irmã dele e por toda essa indisposição com o sobrinho que tem 18 anos e é um completo folgado. Ele disse que iria procurar um lugar pra ficar, mas até lá, ele perguntou se poderia ficar aqui até encontrar esse lugar.
E como eu já fui colocado pra fora de casa pelo meu tio e me vi sozinho, eu sei o quanto é importante ter alguém pra estender uma mão amiga nessa hora.
Eu respondi que sim, mas que ia comunicar o Karls e o Akarls. Expliquei a situação Lars e eles falaram que tudo bem.
A Karls começou a fazer um freela permanente em um grande estúdio aqui de SP, então ela já não estava ficando em casa e quando estava, ficava a maior parte do tempo com o Darls, que ficou aqui em casa, mesmo ela trabalhando regularmente, já que as coisas estão flexibilizadas por aqui.
A princípio, Lars ficaria aqui até dia 10, ele tinha acertado de ir morar com um pessoal que ele achou num grupo do Facebook, mas o lugar onde esse pessoal ia morar não deu certo, pelo o que ele me contou, foi lance com a Porto Seguro, ele ficou decepcionado, porque os meninos eram legais. Então, ele voltou para a busca de encontrar um lugar pra ficar, eu inocente disse que ele poderia ficar o tempo que precisasse.
Interiormente, eu queria me redimir por toda a injustiça que foi o nosso início, queria fazer certo dessa vez, pois ele estava sendo bom pra mim e eu nunca tinha tido isso, esse convívio.
Enquanto ele estava aqui, comecei a ter companhia para o almoço, passei a comer direito, já que ele é obrigado a comer certo por causa da diabetes, eu estava até me alimentando nos horários certos. As noites assistíamos séries abraçados, até a hora de dormir. Parecia um oasis no meio de todo esse inferno que estamos vivendo, por um único instante eu esqueci de tudo de ruim.
Nesse período, ele estava procurando vários quartos, mas só encontrava cativeiros sendo alugados por mercenários.
Conforme o mês ia passando, Karls estava bem estressada com tudo e quando estava todo mundo na cozinha, ela parecia evitar querer falar com ele. No início, eu pensei que fosse TPM ou alguma coisa em particular dela com Darls.
Mas eu tive certeza que era alguma coisa com o Lars, no dia que estávamos jantando e ela veio informar que o botijão de gás tinha acabado e ela tinha comprado um novo, mas ela insinuou que estávamos cozinhando demais. Eu fiquei, sem reação, pois não esperava por aquilo, como eu falei, ela e o Darls estavam fazendo todas as receitas que existiam na internet, como que o Lars 10 dia aqui era a causa do botijão ter acabado?
Então aquilo começou a ficar espinhoso e o meu erro foi não ter confrontado. Eu comecei a me sentir acuado com o Lars e não sabia o que fazer, ele já estava numa puta situação frágil por ter saído da casa da irmã por indisposição com o sobrinho e a coisa que eu mais queria era que ele se sentisse confortável na minha própria casa.
No meio de tudo isso, ele voltou a trabalhar e eu passei a acordar cedo junto com ele, pra tomar café e abrir o portão pra ele poder sair, num desses dias, eu levantei e fui no banheiro e enquanto eu usava, a Karls bateu na porta perguntando quem é que estava lá dentro de uma maneira meio ríspida, no caso era eu, mas o Lars viu a situação toda, ele não me falou, mas eu reparei que ele parou de tomar banho de manhã antes do trabalho. Dizia ele que o banho da noite era suficiente.
Depois, ele parou de tomar café da manhã, disse que tomaria café na cafeteria que ele trabalha.
A próxima coisa que aconteceu foi um dia que eu estava na cozinha e fui informado que Karls e Akarls decidiram que não iríamos mais fazer as compras de mercado juntos. E que só manteríamos os produtos de limpeza e higiene e que o resto era cada um por si.
Confesso, que na hora não compreendi o que estava acontecendo, eu estava muito desligado, na verdade não acreditava que os meus amigos estavam me excluindo por causa do Lars, eu estava sendo ingênuo, pois não imaginaria que aquilo estava acontecendo.
No meio desse caos todo, Lars, virou pra mim e disse que a irmã dele pediu que ele fosse na casa dela. Então ele iria direto do trabalho e dormiria lá no sábado para o domingo, já que estaria de folga e voltaria pra cá no domingo a noite.
Só que ele não voltou, ele disse que a irmã dele pediu para que ele dormisse lá mais uma noite. Pensei, okay, ele vem então amanhã direto do trabalho pra cá, mas aí ele não veio na segunda, foi quando o peso de tudo bateu.
A essa altura eu já estava angustiado com tudo aquilo e direcionei minha frustração para o lado errado, em vez de confrontar quem estava causando toda essa situação insatistória, eu cobrei dele, porque ele não estava aqui. Perguntei, porque ele não queria estar mais aqui. Ele falou que queria. Então, eu perguntei porque o domingo, virou segunda e agora a segunda virou terça? Ele hesitou, aí eu perguntei se era por causa da Karls e ele disse que só não queria incomodar ninguém.
Eu fiquei mal, por ele se sentir mais incomodado na minha casa do que na casa da irmã dele com o sobrinho folgado que estava fazendo da vida dele um inferno.
Fiquei desapontado, ele veio na quarta, conversei com ele, disse que iria conversar com a Karls sobre toda essa situação. Mas já era tarde.
Era a última semana de Julho, e antes mesmo que eu pudesse conversar com a Karls, Akarls chegou dizendo que não dava mais para dividirmos a conta de água como estávamos fazendo, por 3, teríamos que dividir por 5, já que a conta ficou mais cara.
Na sexta-feira daquela semana, Lars encontrou um quarto numa casa que ele meio que alugou as pressas e ele se mudaria na primeira segunda de agosto. Quando eu pude confrontar Karls, no sábado, sobre tudo aquilo, já era tarde. Falei que fiquei chateado deles quererem repartir a conta da casa por 5 com o Lars pelo mês que ele passou aqui, mas isso nunca foi nem cogitado nos 5 meses do Darls aqui. Falei que fiquei decepcionado por ela não ser capaz de enxergar a minha felicidade. Por não ser capaz de ver o quanto eu estava feliz, como eu enxerguei a felicidade dela com o Darls e o recebemos de bom grado dentro de casa por causa da felicidade dela. Disse que foi muito cômodo pra ela ter alguém pra poder dormir junto, assistir coisas juntos, ter os momentos a dois e quando eu pude ter o mesmo, ela não olhou para mim com os mesmos olhos.
Enfim, Lars se mudou, tomei esse tempo que poderia estar assistindo uma série com ele para escrever tudo isso. Angustiado e decepcionado. Darls não tem culpa de nada do que está acontecendo, mas agora acho completamente injusto ele estar aqui e o Lars não estar, não sei o que fazer, minha vontade é de falar, "acabou a quarentena para os dois, pode voltar para sua casa". Me sinto injustiçado e triste por alguém que eu amo tanto, não ter sido capaz de enxergar que eu estava feliz. É isso, estou esperando a próxima sessão da minha terapia e Karls e Darls estão lá no quarto dela e eu estou só.
E para finalizar, essa foi minha conversa agora a pouco com o Lars.
Lars https://imgur.com/gallery/PRrxEI6
submitted by denesfernando to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.01 17:52 Natalia_Richarde2020 O DIA QUE FUI AMEAÇADA DE MORTE PELA EX

oi luba, turma, gatas maravilhosas, papeis assassinados, editores e possível convidado (que quase nunca tem), hoje vou contar minha triste historia de como fui corna e traída por amigos. bom luba essa é a minha primeira vez participando e espero muito que goste da historia.
ps: estou repostando, pq a anterior tinha alguns detalhes faltando e alguns erros de português ( me perdoe se ainda conter alguns), mas sem delongas vamos a historia.
Eu tinha uma amiga e a gente era bem próximas no período do ginásio e aí quando fomos para o 1° ano do colégio (2015) foi quando eu conheci um menino e a gente sempre foi próximos e por mais que ele trocava de turno na escola (por conta de trabalho),mas isso não interferia nossa amizade e nessa época ele começou a namorar essa amiga minha e cara eu shippava eles pra caralho e sempre apoiava e tudo mais, mas quando foi no 3°ano do colégio (2017) eu e esse meu "amigo" ("amigo" pq eu considerava ele mais um irmão) a gente caiu na mesma sala e aí ele sempre me pedia conselhos sobre o namoro pq segundo o que ele me contava, ela era muito infantil no namoro e tinha ciúmes demais e ainda tinha ciúmes de mim e tipo sempre dei conselhos para ele conversar com ela e assim se resolverem e essa amiga minha em vez de chegar em mim e perguntar as coisas para mim, ela simplesmente mandava outras pessoas perguntar sobre minha relação com o namorado dela e bom sempre fui sincera e sempre falei que considerava ele como meu irmão e que eu e ele não tínhamos nada. Mas ela sempre vinha com as criancices e tudo mais e depois dele passar o ano todo nesse chove não molha ele pediu mais conselhos para mim sobre e eu já tinha dado vários conselhos e o namoro deles não melhorava e o mais sensato quando isso acontece é o término (principalmente quando o diálogo não funciona mais) e aí eu falei para ele que se não tinha jeito que ele terminasse com ela, pq eu não queria o meu irmão sofrendo e assim ele fez e nisso começou o inferno, pois, ele começou a ficar com uma outra amiga nossa e ela começou a xingar eu e essa menina para o colégio todo e sempre quando alguém ia tirar satisfação, bom se fingia de que não tava fazendo nada e que os outros queria envenenar ela para nó,s blz os dias foram passando e aí eu e ele começou a ficar mais próximos, pois a gente cantava no mesmo ministério e aí a gente acabou começando a ficar serio e após 1 mês e começamos a namorar e aí a ex dele veio de mimimi para o meu lado sobre ele e dizia que ele amava ela ainda e aí eu contei que a gente tava namorando e tudo mais e que ele já tinha esquecido ela e que era pra ela seguir a vida dela(maldita hora que fui falar isso) essa menina começou a nos perseguir e nesse meio tempo conheci uma menina (meu namorado que apresentou ela)e ela se tornou uma irmã e ela sempre me ajudava em tudo ( guarde essa "melhor amiga/irmã", pois ela é importante), bom essa ex dele começou a nós perseguir e me atormentar e vindo conversar comigo no whatsapp (na maioria das conversas era nós duas brigando) e vinha postando indiretas para mim (e eu como uma boa pessoa retribuía as indiretas, com outras indiretas) e nessa época eu trabalhava e meu namorado sempre ia lá e passava um tempinho lá para me ver, mas teve um dia que ela viu ele lá e foi lá e sentou do lado dele e começou a me provocar tirando fotos dele e postando com legendas fofas e logo depois ela foi na mulher que cuidava do caixa e era amiga dela (essa mulher era bem próxima minha, era quase uma mãe no trabalho, foi ela que me ensinou tudo e me ajudou com tudo sempre, ou seja ela sabia da historia e ela iria me defender e me contar) e essa garota começou a falar que eu tava atrapalhando o namoro dela com ele e falando outras coisas além disso e tentando me envenenar para ela e meio que querendo que eu perdesse meu emprego, mas essa mulher já sabia da verdade e apenas acalmou ela e falou que se ela namorasse ela o pq de quando ele caiu de moto eu que estava lá do lado dele no hospital e não ela e quem cuidou dele foi eu e não ela e outras coisas e nisso ela saiu e a mulher veio conversar comigo e falar o que ela tinha falado e nisso eu comecei a chorar e tudo mais, pois meu psicológico tava totalmente abalado e estava totalmente frustada com tudo ( e também tinha medo dessa menina fazer eu perder meu emprego, pois era meu refugio aquele trabalho e por mais que era difícil lidar com as pessoas, aquele trabalho me fazia esquecer dos problemas em casa e no pessoal) e aí passou um tempo e ela ainda estava atormentando e um certo dia ela veio falar para ele que tava grávida dele (pois eles tinha feito fuc fuc 1 mês antes da gente começar a namorar ou seja, quando a gente estava ficando serio) e aí ele veio até mim e me contou tudo e eu perdoei ele e aceitei ele mesmo tendo um filho com ela e que estaria aqui para ajudar ambos no que precisar e umas horas mais tarde ela apareceu e começou a forçar ele a terminar comigo e ele falava que não ia terminar e ela ficava insistindo e aí eu perdi a cabeça e comecei a discutir com ela no meio da praça e todos olhando (puta vergonha que passei), mas aí como eu vi que ele não estava bem parei de discutir e ele foi conversar com ela e até que conseguiu fazer ela ir em bora e ai ele decidiu não assumir a criança, porém ajudar financeiramente ela e ela não aceitava essa ajuda nossa e fazia altos dramas ( de como ia ser o filho dela sem pai presente e tudo mais) e até que um dia a gente fez ela fazer exame para a gente realmente saber se era verdade a gravidez (como ela tinha uma certa fama de destruir relacionamentos dos outros, a gente foi ter certeza se procedia a história) e aí no dia que eles marcou os exames, meu namorado ia com ela neh, porem ela não esperou ele e tirou sangue sem ele e isso aí já fez a gente suspeitar da procedência do exame (pq o laboratório não era tao confiável), mas aí passou uns dias os resultados chegaram e dizia que ela tava realmente grávida e ainda sim existia a dúvida de ser dele e ela ainda continuava infernizando a gente e aí sempre que eu pedia conselhos para aquela "amiga" minha, ela sempre falava para mim terminar com ele e nunca me apoiava e tudo mais e isso me fez ter um pulga atrás da orelha sobre fidelidade dela (mesmo ela falando que ele não fazia o tipo dela, pq ela pode estar mentindo e a fama dela não era tão boa assim, tanto que tinha vindo pessoas me alertar sobre ela) e comecei a ficar esperta, pq meu namorado sempre que a gente ia sair ele gostava de passar na casa dela e tudo mais (e também comecei a ficar alerta, quando meu cachorro avançou nela, sendo que ele é amoroso e tem teorias de que cachorro tem o sentido de descobrir que não tem boas intenções e isso já me deixou encafifada e também teve um dia que a gente foi na casa dela e eu meio que me senti excluída ) e aí um dia a gente marcou de ir eu, meu namorado e a ex dele para a gente sentar e conversar sobre e bom esse dia chegou e após muita discussão ele me escolheu e ela não queria aceitar e começou a fazer chantagem e ainda mandando indiretas para mim por celular e a gente discutia sempre no whatsapp e aí teve um dia que ele foi por um ponto final e aí ela me ameaçou de morte e tudo mais (pse ele gravou um áudio sem ela perceber e ela me ameaçava e falava que se ela não podia ficar com ele, que eu não ia ficar e que ela poderia ir pro inferno por me matar, mas ela não se importava) e quando descobri isso fique desesperada e com medo e com raiva por ele nunca por um ponto final e tudo mais e isso tava me fazendo perder muito cabelo e eu ter crises de ansiedade, pois estava aguentando essa barra toda sozinha, pois não tinha apoio de ninguém (minha mãe sabia do namoro, porém nunca fui de dividir os problemas com ela e ela amava meu namorado) e aí um dia a ex dele teve um aborto espontâneo e aí ela parou de nós infernizar (esqueci de falar que ela sempre falava que ele só está a comigo para fazer ciúmes nela e tudo mais kkkk sendo que ele odiava ela) e aí a gente começou a ter paz, porém ele começou a ficar mais distante (ele falava que eu era a que tava distante, sendo que eu sempre fazia textinho e ele sempre falava as mesmas coisa que ''ele estava surpreso e não sabia o que dizer'' e demais desculpas esfarrapadas e até gastei 150 reais em uma aliança nova, pois eu tinha perdido a outra numa viagem e cara sempre fazia surpresas eu dava 100% de mim e ele nem 50% dele e isso me deixava muito triste e insegura comigo mesma) e um dia ele foi trabalhar em uma festa e aí ele me traiu com uma outra amiga nossa e ele falou que não foi culpa dele e que a menina que tinha beijado ele e tudo mais (e eu a trouxa perdoei)(esse rolo todo foi em 2018) e aí o ano passou e faltando 2 semanas para acabar fevereiro de 2019 ele me pediu um tempo e nesse período aquela minha "amiga" começou a postar fotos com ele com legendas fofas e tudo mais e era todos os dias praticamente e aí eu me afastei dela e aí nesse período saiu o resultado do meu vestibular e eu consegui passar aonde eu queria e aí eu e meu namorado marcou de conversar e resolver o nosso namoro (pq eu tava quase indo para outra cidade por causa da faculdade) e a gente foi no dia que a gente completava 1 ano de namoro e aí ele chegou deu feliz 1 ano e aí começou a falar que me amava,mas que ele tinha medo de eu ir para outra cidade e trair ele ou conhecer alguém melhor que ele e tudo mais (sendo que qualquer babaca seria muito melhor que ele e serio eu trair ele? esses medo era pq ele era o infiel da relação)e aí ele falou que se eu queria terminar com ele e aí eu falei que seria melhor a gente terminar, pq se pra ele nosso relacionamento a distancia não ia funcionar, então para que continuar e aí ele veio me abraçou e começou a chorar, porém percebi que aquele choro não era muito verdadeiro e aí eu chorei vindo para casa, mas era um choro dele alívio e um pouco triste por ter que contar para minha mãe que a gente tinha terminado, pois como a gente terminou eu estava tranquila que eu não iria sofrer mais e assim iria para outra cidade e não precisarei conviver com aquelas pessoas e aí alguns meses após o término meu ex veio conversar e pedir desculpas por tudo que ele tinha feito e pedir uma segunda chance, pois ele tinha se arrependido de tudo (pq ele tinha namorado e essa menina tratou ele tão mal, quanto ele me tratou e aí ele se deu conta das merdas que ele fez com quem realmente amava ele e que sempre cuidou e quis seu bem), porém após esse término eu comecei a ter mais alto estima e perceber que eu merecia alguém muito melhor e que ele e aí eu naturalmente dei um fora (ele começou a falar coisas do tipo ''você fazia cursinho fora e você acha que eu não iria desconfiar de algo'', insinuando que eu tinha traído ele e eu me estressei e comecei falar e por pra fora tudo e ai ele viu o quão errado ele estava) e uns dias depois um amigo meu veio me contar que esse ex meu tinha ficado com essa "amiga" minha um pouco depois que a gente terminou e eu fui e perguntei para ele e ele me confirmou e aí eu cortei minha amizade com aquela "amiga" e aí ele queria continuar a amizade comigo e eu aceitei, porém sempre fui fria e aí ele veio reclamar que eu não era a mesma e que eu estava fria com ele e aí eu falei que depois de tudo ele queria ainda que eu fosse igual com ele e fingisse que tava tudo ok e aí ele parou de falar comigo, por atualmente eu já os perdoei e queira que ele sejam feliz, contei para minha mãe os reais motivos de eu ter terminado com ele uma semana depois de ter me mudado para outra cidade, pq eu não tinha coragem de contar cara a cara e aí lubinha atualmente eu encontrei alguém que realmente me ama e me valoriza do jeito que sou e sempre me anima e sempre está disposto a tudo por mim, tanto que foi ele que me apoio a vir contar para você essa historia (eu e ele te assiste e então sempre que a gente joga a gente usa algumas frases suas), bom lubinha tenho algumas prints das conversas e queria muito poder deixar aqui para você ver, mas não sei como faz para colocar kkkk, a já ia esquecendo de contar que essa ex namorada dele sempre tentava fazer meu amigos se virarem contra mim, porem não conseguiu e então é isso lubinha essa é minha historia de quando fui traída em um relacionamento e em amizades . bjs lubinha e obrigada por todas as noites de diversão que você me proporciona (principalmente com o quadro nice mendigos e sempre coloco eles quando estou com crise de ansiedade ou insonia, pois me ajuda a acalmar e dormir) e caso queira julgar quem foi o babaca da historia pode ficar a vontade (apesar de eu achar que todos foram kkkkk). é isso lubinha,bjs e desejo todo o sucesso do mundo para você, seus editores e turminha. então é isso bjs lubinha, amo você.
submitted by Natalia_Richarde2020 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.30 22:26 Tecnology14 Parece que minha vida está ruindo

Olá pessoal, tudo bem com vocês?
Minha história é longa e complexa, então vou dividi-la em sete partes.
Para começar, minha família, principalmente minha mãe, são um tanto abusivos, porém nunca percebi isso, pois antes de fazer meus 20 nunca tive contato com o mundo externo. Pois é, eu estudei em escola pública, me relacionei com outras pessoas, mas nunca fui incentivado a correr atrás das coisas, e nunca tive uma demonstração de confiança da minha família dizendo que poderia contar com eles. Minha mãe sempre conduzia conversas desconfortáveis querendo saber tudo sobre minha vida, e aconselhando, de uma maneira que não me deixava confortável, sobre o que fazer, porque meu pai era passivo. Pelo meu pai ser passivo, ela ficava muito frustrada e transferia essa frustração para a gente. Quando questionada, ela inventava justificativas sem pé nem cabeça para o que fazia. Tive algumas brigas com ela, e muitos desacertos. Ela me bateu por conta de guarda roupa bagunçado, porque ela vigiava meu guarda roupa. Me proibiu de certas coisas por conta do meu desenvolvimento, e acabou que me tornei um rapaz medroso, tímido, com desenvolvimento atrasado. Vida sexual? Iniciei com 20 anos apenas. Vida amorosa, só agora aos 23. A igreja logo se tornou um fardo, pois a gente ia, mas tínhamos que nos comportar da maneira que ela dizia que era o ideal. Aprendi a tocar violão, virou um prazer, mas a igreja também é abusiva, logo se tornou um desprazer que eu saí, que logo depois disso, as cobranças para voltar começaram em casa também. Minha irmã sempre apoiou o que ela dizia incondicionalmente. As fofocas dela contra a gente sempre existiram, do tipo, se contassemos algo para ela, ela saia espalhando por aí, ao ponto de humilhar-nos e expor nossas intimidades.
Depois disso, vi uma pontinha do mundo exterior, quando comecei a me abrir para ele. Fiz amigos, conheci pessoas, me forcei a falar com pessoas, porque eu sou do tipo que não puxava assunto, mas ainda era socialmente inepto como sou. O controle da minha mãe dura até hoje. Conheci uma pessoa com o qual quase tive um relacionamento que achava o meu relacionamento com a minha mãe algo totalmente fora do comum, porque eu não ia nos lugares que eu tinha vontade por medo da minha mãe proibir, por medo dela achar ruim. Percebi que eu cresci com medo, e por conta disso essa pessoa foi embora da minha vida. Conheci um dos meus melhores amigos, e até hoje ele me fala isso, pois vivenciou situação parecida. Talvez eu tenha perdido grandes acontecimentos na minha vida por medo. Mas isso mudou...
Conheci uma pessoa maravilhosa, com quem eu namoro hoje em dia. Abracei um pouco a mudança e sai da minha zona de conforto. Pela primeira vez me arrisquei a não ligar para o que falavam comigo ou do que iriam pensar. Vivo momento incríveis com ela e sei que é o tipo de pessoa que tenho que manter por perto por toda a vida. Mas tenho que inserir aqui uma comparação: se as discussões, brigas, repreensões, abusos haviam comigo, se tornaram piores depois que comecei a namora-la, ela já quase desistiu de namorar comigo por conta da marcação da minha mãe e minha irmã. As coisas foram melhorando um pouco em relação a ela, mas minha mãe continuava pegando no pé, e como ela bebia, as coisas eram ainda mais piores. Bêbados são uma merda e falam coisas sem pensar.
Minha mãe virou uma pessoa insuportável depois que começou a beber, falava coisas e não tinha filtro. Afirmava coisas das outras pessoas que ela nem sequer sabia sobre. Meu pai não aguentou, e foi ficando cada vez mais distante até que um certo dia, no primeiro dia que comecei em um novo emprego, ele saiu de casa e não quer mais saber da minha mãe. A vida pra ele melhorou muito, mas essa separação colocou os holofotes todos em mim. Uma vez que ele saiu de casa, minha irmã saiu também para prestar residência médica.
Depois que meu pai saiu de casa, minha mãe começou a ir na igreja novamente e parar de beber. Mas eis a questão, minha mãe já era uma pessoa insuportável antes de beber, e agora que eu namorava, toda semana eu tinha que ouvir falar mal da minha namorada e foram episódios que cada vez mais foram se intensificando. E eu era julgado por querer passar mais tempo com ela. As coisas ficaram ruins de novo a ponto do meu relacionamento quase ruir, de ela querer controlar até quais dias da semana eu passava com ela e falar mal dela na minha cara. Já não bastava quando eu estava presente.
Nessa terça não aguentei. Já estava muito chateado com toda essa situação e minha namorada a ponto de terminar. Foi só minha mãe vir falar comigo de novo, que daí eu estourei. Falei tudo que estava sentindo, porém foi violento e foi uma cena terrível de ser vista e vivida. E a casa enxurrada de palavras no rosto da minha mãe descia uma cascata de lágrimas. Eu estava com muita raiva no momento. No final de tudo, ela se vitimizou, perguntando porque eu estava fazendo aquilo com ela, me chamou de cobra e me mandou sumir ou ela sumia. Fui deitar naquela noite totalmente entorpecido, quando ela teve um surto psicótico de regredir ao momento que eu nasci. Esse surto durou uma hora, mas foi o suficiente. A nora de quem ela tanto falava mal foi a primeira a chegar para me ajudar.
Ela acordou no outro dia péssima, e não quer mais falar comigo. Eu disse tudo que precisava dizer, mas me enchi de culpa e de remorço das coisas que eu precisava dizer. Minha vida com ela está ruindo e acredito que as coisas possam não voltar ao normal, e acredito que não há lado positivo nessa situação difícil.
submitted by Tecnology14 to desabafos [link] [comments]


2020.07.28 05:48 leepz2019 Um "amor" que eu não entendi

Olá me chamo L. (H.28) e venho buscar opiniões pra poder entender oque está acontecendo. Há 4 anos atrás conheci uma moça denominada D. Moça bonita e jovem 15 anos, só queria curtir e zoar a vida, quando eu a conheci foi em casa, naquela época consumimos maconha e vivíamos chapados, ninguém queria nada com nada, eu recém terminado e ela também. Nos envolvemos e aconteceu, a gente ficou e deixamos claro que não queríamos nós apegar tanto, porém não foi isso que aconteceu. Porém eu vinha passando por problemas devido ao meu término recente e vi que estava ali só por estar mesmo. Comecei a pensar e fui me afundando numa depressão profunda e amarga, porém não quis demonstrar isso, eu gostava muito dela e sabia que na idade dela não tinha porque envolver-la em algo desse tipo, afinal queríamos curtir. Passando um tempo minha mãe sabendo da minha situação me chamou pra ir morar com ela no nordeste, sem chão e sem nada resolvi ir sem hesitar. Expliquei para a D. que teria que ir embora pois não tinha mesmo condições de me manter nas condições emocionais que eu estava. Ela entendeu e compreendeu, sempre fomos muito sinceros um com o outro. Fui embora de coração partido por deixar a cidade e pessoas muito importantes pra mim pra trás. Chegando lá não consegui me adaptar e cai em depressão profunda, o único motivo pra eu sair da cama era comer e fumar cannabis. Passado um tempo comecei a me sentir mais disposto, saia pra passear beira mar, dar uns pegas bem assim dizer, uma euforia total. Cheguei a mandar mensagem pra D. Já que tinha me afastado por conta da depressão, porém ela tinha voltado com o ex, segui em frente afinal oque mais me importava era se ela estava feliz ou não. Passado uns 2 meses entrei em uma crise psicótica devido ao uso de cannabis. Passei por avaliação psicológica e fui encaminhado pra uma clínica. Foram os piores dias da minha vida, porém aprendi muita coisa ali. Eu já não queria mais morar lá no nordeste então saindo da internação resolvi fazer uso de drogas denovo sabendo que assim minha mãe me mandaria de volta pra minha cidade aqui no sudeste. Voltei e continuei a usar contrariando todo o tratamento da doença (esquizofrenia) uma simples tendência nada que me tornasse incapacitado de lidar com a sociedade. Certas vezes cheguei a sair e esbarrar com ela pelas ruas, cruzamos olhares mais ela ainda estava com ele e eu pensava que ela estava feliz e não queria estragar isso. Passado um tempo me atacou outra crise e resumindo segui pra uma internação mais severa agora aqui no sudeste e parei com o uso de drogas pra não atacar crise de novo. Fiquei um ano focado em trabalhar e cuidar de mim se manter relação amorosa com ninguém, isso foi ano passado. Um amigo em comum que namora uma amiga dela me disse que esses dias elas estavam conversando sobre mim, que ela aparentemente estava tendo um mal relacionamento com o namorado dela e disse que ela nunca me esqueceu e que gostava de mim depois de todo aquele tempo. O amigo me disse pra mandar mensagem pra ela, passado alguns dias eu criei coragem e mandei um oi pra ela no wpp. Sem resposta eu pensei, ela deve estar se acertando com ele, melhor eu deixar quieto. Passado mais alguns dias respondi um storie do instagram, não passou muito ela me respondeu com um emoji, logo voltamos a nos falar cada vez mais e mais. Perguntei se ela tinha terminado e ela disse que sim, antes de agente voltar a se falar ainda. Numa sexta feira tomando uma cerveja ela me disse que ia dar com o irmão, eu sem muito o que fazer chamei ela pra tomar uma em casa onde nos conhecemos, e ela aceitou e veio pra minha casa, já com a intenção de ficarmos, pois havíamos conversado por mensagem. O reencontro foi algo muito especial pra mim, algo que eu não consigo explicar. Ela passava quase a semana em casa, e quando ia pra casa dela trocava-mos mensagem do amanhecer ao anoitecer, eu achava me sentia muito pressionado mas sentia que ela precisava disso pois ela havia mencionado que também tinha parado de usar drogas que ocasionaram em crises de Pânico ou ansiedade não sabemos ao certo pois ela não quis ir ao médico saber sobre. Ela vinha tendo crises com certa frequência e eu sempre ajudei como pude, quando estava longe eu tentava distrair-la, quando perto abraçava, conversava, contava algo engraçado até passar tudo. Com um mês pedi ela em namoro durante uma festa que fazíamos em casa, ela aceitou, ficou emocionada ao meu ver, pois havia relatado que ninguém nunca tinha feito aquilo com ela, pusemos as alianças e comemoramos aquele dia. Ela passava muito tempo em casa e eu e meu irmão estávamos desempregados no momento, logo conversamos que ela vinha um dia da semana pra casa e nos fins de semana pra não pesar pra ninguém como havia combinado com meu irmão, conversei com ela e foi sem problema mas sempre ela inventava algo como está tarde ou vai chover ou que se sentia bem em casa comigo, pois o pessoal de casa sempre gostou dela e tratou ela super bem, entao eu ficava sem jeito de pedir pra ela ir pra casa dela. Mas sempre expliquei pra ela que quando eu pudesse eu traria ela pra morar comigo aqui, ela sempre ajudou como podia, não tinha dinheiro pois não trabalhava e eu ainda estava sem serviço pois nosso negócio estava parado por conta da troca de estação. Passando algum tempo realizamos a venda de um imóvel rural, recebi um bom valor da minha parte e sempre combinamos que quando o negócio voltasse a rodar iríamos trabalhar pra fazer esse dinheiro render então decidi pegar o resto das coisas dela , até isso acontecer aproveitamos muito, bebemos muito e curtimos muito, sempre comprei coisas pra comer sem necessidade, porém comprei muita coisa necessária também como roupas pra nós dois, comprei maquiagem pra ela, escova progressiva pro cabelo, trocamos de celular, comemoramos aniversário fomos em festas antes dessa pandemia é claro, aos pouco vi ela ficar cada vez mais linda de que quando a conheci. No caminho dessa curtição sempre reparei nas atitudes dela comigo, principalmente quando bebia ela me desagradava com certas atitudes, eu ficava extremamente magoado com aquilo e sempre me abri com ela e expliquei que aquilo me magoava muito. Coisas como, você tá parecendo meu ex, amigos que dava em cima dela eram melhores que eu, ou em certa conversa expliquei pra ela que ela me devia respeito, pois sempre respeitei ela e fiz o que ela queria, ela nunca teve quem fizesse essas coisas por ela, então eu fiz tudo na melhor intenção e felicidade por fazer ela feliz, ela me disse que não tinha por que me respeitar. Nós não éramos mais namorado, ela já estava morando comigo há mais de 4 meses, éramos praticamente marido e mulher, claro que tinha que ter respeito um pelo outro poxa. Sempre tivemos biometria do celular um do outro como sinal de confiança mas nunca olhei seu celular, uma vez ou outra só quando queria saber oque tanto fazia ali, e ela fazia também quando eu dormia eu acho, pois não via ela mexendo, até aí normal, apesar dos apesares sempre nos demos muito bem e eu achava que éramos felizes. Mas de nesses últimos 2 meses, reparei que ela já não se divertia muito diretamente comigo, só quando não tinha mais ninguém mesmo, se tivesse algum parente dela ou meu bebendo com a gente ela era totalmente radiante e feliz. Se eu for parar pra contar tudo que eu reparei com certeza vai ficar muito maior esse texto.. Continuando, mais precisamente a umas 3 semanas fomos a um aniversário do cunhado dela que eu sempre vou considerar como se fosse da minha família, inclusive sou muito grato a ela por ter conhecido ele e também a minha cunhada que é namorada dele e irmã da D. Enfim fomos a festa e chegando lá estava a família do aniversariante a mãe e os irmãos que eu conhecia aliás, tem um deles especificamente denominado J. Que ela sempre me falou mal, dizia que quando ele estava com a namorada ele era c..são e dava ânsia cada vez que ouvia o nome dele, porem recentemente a parceira dele largou dele e foi embora do estado. Até aí tudo bem, ele foi super simpático comigo, porém notei ela muito simpática com ele. Naquela noite fiquei assando carne na garagem em baixo onde se encontrava a maioria do pessoal, e ela distante de mim, direto lá em cima conversando com os irmãos do cunhado e nada de me dar atenção, percebi mas nem falei nada pra não ficar um clima chato na festa e nem começar uma briga com ela. Festa acabando chamei ela pra ir embora que a irmã dela ia levar a gente, ela estava jogando futebol no game com os irmãos do cunhado dela, e não me deu ouvidos direito, disse que estava vendo alguém jogar, eu falei vamo que o carro tá ligado já, ela disse que já ia, desci e falei pra irmã dela chamar que ela não queria vir, a irmã subiu, logo ela desceu, ao sair do portão torceu o pé, estava bem embriagada, todos estávamos, durante o caminho veio dormindo e chegou em casa subiu as escada deitou na nossa cama e logo adormeceu. No domingo ela acordou com o pé super inchado me chamou e eu perguntei se ela queria ir ao hospital ela disse que não, depois disso no meio do dia meu sogro liga pra ela perguntando se não queria ir na casa dele, disse que era melhor não ir por casa do pé, ela não gostou então fomos mesmo assim, bebemos rimos muito aquele dia, tudo normal, chegando em casa cuidei dela devido a pé e ficamos de boa, estava tudo normal aparentemente, na segunda ela ficou o dia inteiro no quarto devido ao pé inchado, na terça disse que iria na irmã dela e que a mãe ia lá e queria passar o dia lá, normal pra mim, antes de sair meu irmão havia pedido pra ela separar algumas peças que foram vendidas, ela disse que faria assim que chegasse. Na sexta feira antes disso meu avô havia sofrido uma queda e bateu a cabeça forte, no sábado do aniversário ele havia passado mal da pressão e ido ao hospital, desde então eu já estava aflito com essa situação e ela nem pra perceber, foi mesmo assim pra casa da irmã, no meio do dia me manda uma mensagem dizendo que o pé inchou, perguntei pra onde tinha andado ela disse que tinha ido ao mercado de apé, já fiquei meio irritado, pois há algum tempo ela já não ajudava nas tarefas de casa direito, coisa que sempre fiz independente de estar trabalhando ou não, paras as obrigações fazia corpo mole, pra se divertir era a primeira a agitar, blz. Me mandou uma foto do pé inchado, logo em seguida falei "quero ver essa disposição aqui em casa" e mandei uma palminha sobre a foto. Meu avô havia ido ao médico e eu estava extremamente preocupado. Não conversamos o resto do dia, mais ao anoitecer ela chega em casa me dizendo que tinha que voltar lá na irmã pra cortar a franja, só olhei e não respondi, por tamanha indignação com as preocupações minhas comparadas com as dela, que já não se importava muito com o que eu sentia e afins. Depois daquele dia ela se fechou e não saia do quarto nem pra comer, e direto eu vinha ver como ela estava, quando ela não estava vendo algo no celular estava jogando com o J. quem ela sempre falou mal, e estava rindo com o cara, toda hora conversando, e comigo nada de conversa, ia dormir tarde conversando no wpp e jogando, rindo com os outros e eu nada, fui ficando extremamente magoado e nervoso com isso tudo, cheguei a ter batedeira e tremedeira de nervoso, sensação de desmaio, fraqueza, decidi então ocupar a cabeça com serviço, enquanto ela ficava no quarto isolada falando só com quem ela queria eu me distraia com outras coisas. Na sexta feira resolvi puxar assunto com ela no wpp, já que ela não saia de lá, logo ela me respondeu e conversamos, disse a ela que não dava pra continuar desse jeito e ela concordou, eu também disse que desconfiava que havia algo errado ( mais uma coisa de intuição ou pressentimento não sei explicar) , ela me disse que eu tava viajando já, um pouco também é pelo fato de ela colocar o celular debaixo do travesseiro antes de dormir, coisa que nunca aconteceu e eu achei estranho mas nem falei sobre isso, durante a conversa me disse que tinha uma bagunça dentro dela que a vida dela era um caos e não queria me envolver nisso tudo, que cansou de fingir que tava bem e precisava pensar na vida, que tinha que ficar um tempo sozinha pra ver oque ela tava fazendo da vida dela????? Como assim? Depois de tudo que passamos que "conquistamos" , tudo que curtiu , dizia que me amava e eu também dizia, aliás ainda amo, cadê aquele amor todo que tinha me dito que tinha? Que nunca me esqueceu? Que eu era a melhor coisa que tinha acontecido na vida dela? Que eu era o homem que ela pediu pra Deus? Que eu ninguém tratou ela como eu tratei? Passou mais um dia, enfim logo ela mudou de assunto e desceu ajudar minha cunhada com umas coisas de casa, foi até mim, disse que me amava, me deu um beijo, e disse que havia melhorado um pouco, mais a tarde eu ainda trabalhando perguntei a ela, e aí tá de boa? Ela me respondeu.. Sinceramente não tô não.. Disse a ela que a hora que eu subisse conversaria Ela perguntou se podia chorar, pois estava com uma vontade gritante fazia tempo Disse que sim, que as vezes tudo que precisa é desabafar e fazer isso mesmo Eu subi, cheguei no quarto e liguei a TV e coloquei algo pra tocar num volume mais ou menos, abracei ela bem forte deitado na cama, e senti ela chorando bem baixinho pra não perceber, ali eu me senti muito mal mas muito mesmo, porém a gente havia conversado e ela me disse que não foi nada que eu tivesse feito ou falado pra ela, do contrário, era coisa dela e ela não queria me envolver, enfim ela terminou de chorar veio até mim e nos beijamos intensamente, sentou no meu colo e continuou me beijando, cheguei a pensar que transariamos. Ela saiu de cima e estávamos conversando sobre nada específico que envolvesse nossos sentimentos, ela me perguntou se eu tinha entrado no jogo que sempre jogamos juntos pra coletar recompensas eu disse que não e pedi pra ela pegar meu celular pra eu poder fazer isso, entrei lá e logo o J. estava online e me chamou pra jogar, joguei com ele na boa pq já tinha combinado, e perguntei a ela se ela queria jogar, sem hesitar ela entrou com a gente, jogamos até altas horas e foi bem divertido. No dia seguinte estávamos conversando normal e tudo até que um amigo em comum avisou que teria um churrasco de aniversário na casa dele a noite e teria chamado também a irmã dela e o cunhado, logo encaminhei pra ela e ela disse que tinha combinado almoço na casa da mãe do cunhado dela onde reside o J., falei mais eu nem sabia que se tinha combinado isso, e outra dava pra ficar pra outro dia, já percebi que ela não gostou e parou de falar comigo, subi no quarto pra trazer comida pra ela pois ela não havia saído do quarto, cheguei ainda amoroso e disse comprei algo pra você comer, ela disse que não tava com fome e não olhou na minha cara, pensei poxa denovo isso..algum tempo depois entrei no quarto ela rindo e jogando denovo com o mesmo cara, enquanto eu resolvia as coisas pro aniversário e trabalhava. Pouco antes de me arrumar entrei no quarto a mesma situação, não me senti mal exatamente por ela estar jogando e rindo com ele, fiquei meio chateado por que ela me ignorava. Enfim varou a tarde jogando e tive que pedir pra ela se arrumar se não nós atrasariamos, fez cara e se arrumou, e seguiu seca e meio calada igual a semana inteira, fomos para a festa.. Chegando lá se divertiu e tirou foto com todo mundo menos comigo..depois de um tempo ela me disse que estava passando mal e queria ir embora, trouxe ela em casa que é perto e pedi pra ela comer algo quando chegasse pra não acordar passando mal com dor de cabeça Ali eu tomei a decisão de fazer como se fosse um dia em que eu pudesse extravasar, Bebi como se não houvesse o amanhã, fui até 10 horas da manhã bebendo.. chorei muito desabafei muito com a minha cunhada que sempre foi parceira e amiga em tudo, inclusive da D. Subi e descansei, não vi ela acordar e quando acordei ela estava no banheiro, desci e continuei bebendo e pensando em tudo. Fiquei o dia sem inteiro sem entrar no quarto..quando entro me deparo com ela mais uma vez jogando e rindo com o cara, depois disso comecei a tremer e sentir batedeira denovo. Conversei com alguém e fui tomar um banho pra acalmar. Funcionou, entrei no quarto e acho quel ela percebeu que eu saí nervoso logo ela saiu do jogo. Na segunda feira ela ia repetir o mesmo esquema da semana passada e ia me ignorar..passei o dia inteiro pensado sobre o que fazer e como fazer e decidi subir pra conversar. Cheguei no quarto ela estava com a toalha ao lado..perguntei se ela iria se banhar ela seca me disse "vou"... Disse que a hora que ela voltasse precisaríamos conversar.. Ela voltou do banho e sentou na cama e disse.. Vai solta a letra.. Já rebati..é assim mesmo que você fala? Tem certeza que quer começar uma conversa assim? Ela disse não,, foi mal diz aí oque se quer Perguntei eai? As coisas vai ficar assim mesmo? Se não quer falar comigo, só ri e conversa normal com os outros? Ela disse eu não tô falando com ninguém 🙄 Já parei a conversa e falei ... Ó assim não dá nao...faz um favor e só arruma outro lugar pra você ficar e pode ir embora.. Sem hesitar ela disse hoje mesmo eu faço isso! Me doeu muito ter que dizer aquilo.. Mas para ela foi como se já tivesse esperando.. Então me dirigi a porta e disse, me faz um último favor? Ela disse hum? Falei.. Isso que você fez comigo, não faz com o próximo não.. é feio e é muito errado... Ela balançou a cabeça e disse... Tá bom Desci e fiquei inquieto lá em baixo, minha vontade era subir e falar tudo que estava e estou sentindo agora.. Ela me pediu pra ajudar a encontrar as chaves da sua casa, subi e quando abri a porta ela estava sentada chorando muito...aquilo me partiu o coração, mesmo assim encontrei as chaves e entreguei a ela.. Sentei ao lado dela quieto e esperei pela carona dela.. Pouco antes de ir me pediu um abraço. Nós abraçamos e nos beijamos uma última vez e enfim ela foi embora.. No dia seguinte atualizou seu status pra solteira nas redes sociais e posta indiretas como coisas do tipo a dar entender que já está em outra e isso tem me magoado profundamente.. Eu tenho tanto ainda pra falar..mas estou digitando faz horas.. Fica aqui um desabafo +
submitted by leepz2019 to desabafos [link] [comments]


2020.07.27 05:07 sim_meu_nome_e_Leite Eu sou uma babaca por enrolar pra sair do armário?

Oi Luba, gatas, editores, gatas, restos mortais de papelões, Pekeanu Reeves, gatas e turma que está a lever. A história é meio longa, então peço que tenham um pouco de paciência, se possível.
Eu sou bissexual (21, menina). Tirando meu irmão mais novo (19) e minha mãe (51), ninguém mais na minha família (eu acho) sabe. Eu sempre fui bem tranquila sobre minha sexualidade e nunca fiz nada demais a respeito da minha família para fazer que eles saibam, pelo menos até meu primeiro relacionamento sério. Eu tinha 19 anos na época e ela era bem mais velha (25 anos no começo, mais ou menos 7 anos de diferença), nos conhecemos na universidade: Ana (não é o nome dela, mas é o que vou usar) era aluna do curso de mestrado e eu uma bolsista do mesmo grupo de pesquisa da área dela, então eu meio que era responsável por montar os experimentos, auxiliar na instrumentação, produzir alguns artigos, etc... Eu acabei indicada para auxiliar a tese dela e meio que rolou no laboratório mesmo (outra história). Começamos a sair.
Namoramos por 1 ano e 3 meses. Por volta do quarto mês de namoro, eu "saí do armário" porque eu não achava que seria uma grande coisa. Foi meio complicado, meu irmão teve uma reação do tipo "EU SABIA" e minha mãe, bem, ela surtou. Ela exigiu que eu terminasse e parasse com toda a coisa de "sapatona", que tudo era culpa do Dani (meu melhor amigo, aliás ele é abertamente gay) que ele me """contaminou"""" e por aí vai.
Nunca fui 100% próxima dos meus pais, eles eram muito controladores e um tanto entitulados, especialmente comigo e minha irmã mais velha. Saí de casa aos 16 e moro sozinha desde então, pago minhas próprias contas, tenho meu próprio emprego, faço a federal do meu estado e basicamente eles não tem muito haver com a minha vida. Só mantinha contato por causa do meu irmão mais novo, que francamente é meu maior orgulho. No caso dos meus tios, primos e primas, se eu visse eles mais de duas vezes ao ano seria um milagre.
Demorou mais de dois meses para ela voltar a falar comigo e permitir que eu visse o Davi (meu irmão). Ela disse que iria ignorar tudo aquilo com três condições: Não influenciar o Davi, não contar ao restante da família (especialmente meu pai) e levar somente meus "relacionamentos de verdade" para casa (traduzindo, eu só poderia trazer para casa meus namoros heterossexuais e pelas proprias palavras dela: "deixar a put**** fora de casa"). Do contrario, ela nunca mais iria permitir que eu visse meu irmão.
Sinceramente, eu não me importei. Davi e Dani era minha única família de verdade e eles me apoiavam, então estava bem feliz apesar da situação tensa. Sem contar que ele tinha 17, logo faria 18 e já planejávamos que ele se muda-se para minha casa. Expliquei a situação para minha namorada e, surpreendentemente para mim, ela ficou livida (p***) por eu me submeter a esse tipo de merda.
Nós discutimos MUITO. Levou cerca de uma semana para voltarmos. Basicamente, ela achava melhor eu confrontar a situação toda. Eu achava injusto passar por toda aquela dor de cabeça, se eu poderia esperar alguns meses para meu irmão completar 18 e vir morar comigo e então mandar meus pais para aquele lugar. Ainda por cima ela mesma também não era assumida e estava exigindo que eu fizesse basicamente a mesma coisa que ela se recusa a fazer á anos. E eu dizia isso para ela, Ana só dizia que "é diferente" e "para você é mais fácil", por aí vai.
Eu não queria arrancar ninguém do armário. Não precisa ir muito longe na internet para ver os relatos desse tipo de processo que pode ser bem complicado. Eu não exigia que ela me assumisse ou algo do tipo, então na minha cabeça pelo menos, já que eu não exijo isso não teria porquê ela exigir de mim.
Ela insistia que era diferente, que a família dela era mais complicada que a minha (a família dela era beeeem religiosa, já a minha era só conservadora mesmo) que eu não ligava para meus pais e que era fácil.
Mesmo que eu não ligue sobre o que eles diriam sobre minha sexualidade, não é como se tudo que eles dissessem sobre mim não me afetasse. Além disso, toda a confusão seria incrivelmente tensa para o meu irmão, por mais que eu não seja fã dos meus pais, ele os ama e colocar um garoto de 17 anos em uma situação em que ele teria que "escolher um lado" entre parentes que ele ama não é exatamente o conceito de saudável.
Enfim, apesar de toda confusão, botamos uma pedra no assunto e o encerramos. Mesmo assim o clima ainda era estranho e a bolha estourou no natal do ano passado.
Eu mandei algumas mensagens privadas para ela, já que cada uma ficou com sua família no Natal. O pai dela leu as mensagens. Obviamente, as coisas não foram nada boas. Recebi uns áudios bem assustadores dele. Ele é um PM aposentado então eu me caguei um pouco, confesso. Alguns dias depois na véspera do ano novo, nós terminamos.
Meu irmão e eu moramos juntos hoje em dia (atualmente ele têm 19). Por volta de março desse ano um cara se moveu para o apê da frente, com a quarentena passamos a nos esbarrar bastante e começamos a namorar, o namoro vai muito bem aliás.
De alguma forma, minha ex soube e me mandou algumas mensagens (já fazem mais de 7 fucking meses que terminamos). Ela disse muita coisa, a maioria eram um monte bosta, mas uma coisa que ela disse ficou na minha cabeça: Se você tivesse insistido mais com seus pais nós ainda estaríamos juntas.
Bem, isso está na minha cabeça já faz uns dias e eu realmente não sei o que pensar. Meu irmão concorda em parte com ela, e que eu realmente deveria ter insistido mais naquela época e dado uma chance para ver a reação de todo mundo, ao invés de excluir todos de uma vez com exceção dele, mas o que foi, já foi e que eu deveria focar nas coisas de agora.
Bem, eu não tenho quase nenhum contato com meus pais hoje em dia. Não sei qual foi a primeira reação do meu pai e do resto da família, mal sei direito se eles tem alguma ideia. Da feita que o Davi completou 18 fizemos a mudança e não me preocupei em manter contato, disse para minha que ela poderia contar ou não, até agora me parece que ela escolheu não contar. Ele ainda ver nossos pais obviamente
Eu sou uma babaca?
📷ResponderEncaminhar
submitted by sim_meu_nome_e_Leite to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.27 03:57 cadelinha_auau sou babaca por não confiar em meus pais?

olá luba, gatos, papelões, editores, gatas e turma que estar a veleouvir, hoje vim contar uma história que ta acontecendo atualmente na minha vida (quando tiver atualizações vou contar aqui) e vocês vão julgar se fui babaca ou não. vamos lá.
bom, vou primeiro apresentar os personagens principais dessa história:
eu, 13 anos; meu irmão, 19 anos; minha irmã, 17 anos; meu pai, 41 anos; minha mãe, 37 anos.
outra coisa: tenho depressão e ansiedade, além de crises existênciais frequentes e a constante sensação de estar sendo observada, também tenho paranóias e visões de sombras e pessoas que nunca estão lá.
um pouco de contexto, para vocês não se perderem:
meu irmão é fruto de um outro relacionamento da minha mãe de antes do namoro e casamento dela com meu pai, já minha irmã é a mesma coisa, só que ela é filha do meu pai, e eu sou a única filha que tem o sangue dos dois. Minha irmã cresceu com a avó dela, separada da gente e tendo uma vida boa e mais calma, mas sempre se preocupando com o meu irmão e comigo. Meu pai é padrasto do meu irmão, e por causa disso, meu irmão sempre foi tratado como LIXO pelo meu pai por não ser filho dele, já comigo é um pouco diferente mas ainda assim sou também tratada como um NADA por ele. Meu irmão é abertamente gay e eu sou assexual, mas sou assumida apenas para meus irmãos e para a minha mãe (explicarei em breve), e minha irmã é a única hétero entre nós, mas ela é quem mais nos apoia e quem mais nos ajuda com tudo.
a história começa agora.
bom, eu nasci numa cidade pequena e ano passado fui obrigada a sair da melhor escola que tem por lá (que ia me mandar já preparada para o enem e a faculdade), mas meu irmão ficou por lá por mais 3 meses por conta dos estudos, já que ele não podia sair do colégio dele aquela altura (ele estudava em colégio federal). Meu irmão reprovou de período e foi ai que a merda toda estorou, meus pais obrigaram ele a ir morar com a gente e culpavam meu irmão pela reprovação já que na mente deles o meu irmão levou o colégio com a barriga. Até ai nada tava tão ruim assim, até que outra merda aconteceu: a mãe do melhor amigo do meu irmão descobriu que ele é gay e espalhou para TODO MUNDO (minhas tias, pessoal da igreja e para os clientes do salão dela), por conta desse descuido ele teve que assumir forçadamente para a minha mãe por whatsapp, pedindo para ela não contar pro meu pai já que o meu pai é crente, bolsominion e conservador. Sabe o que ela fez? Isso mesmo, ELA CONTOU! Meu pai disse que aceitava ele dizendo que "era o filho dele", o que já me pareceu suspeito desde o começo, até que descubro o seguinte: minha mãe disse que se meu pai não o aceitasse, ela iria embora. Sim, ele só disse aquilo pq não queria que ela fosse embora de casa. Alguns meses se passaram, a pandemia começou e nós adotamos um cachorro, ele atualmente tem 9 meses e vai fazer 10 em breve, mas nós nos mudamos para outra casa faz uns 3 meses e ele tinha 5 meses na época. O cachorro é filhote e a casa era nova, então ele acabou fazendo xixi dentro de casa, o que fez meu pai descontar TODO O ESTRESSE DELE EM UM CACHORRO, fazendo um mega estalo ao bater nele com o chinelo que fez o cachorro chorar e até eu que estava de fone e vendo vídeo conseguir ouvir. Meu pai ia bater no cachorro de novo, mas meu irmão pegou o cachorro no colo e defendeu ele, o que fez meu pai ficar muito puto e querer por meu irmão pra fora de casa (sim, ele assumiu 3 meses depois disso que queria por meu irmão para fora de casa). Os meses passaram, meu irmão teve uma discussão com minha avó que chegou nos ouvidos da melhor amiga da minha avó, o que fez quando meu irmão lá na casa dessa melhor amiga (a filha dela e meu irmão são praticamente irmãos) ser EXPULSO da casa dela apenas por ele ser gay. Vou pular mais um pouco no tempo e agora vamos à umas semanas atrás, quando adotamos a nossa nova cachorrinha (que enquanto escrevo, está dormindo em cima da mim), e estava tudo indo bem. Estava tendo um almoço aqui no quintal junto dos vizinhos (só para explicar, nós moramos de aluguel na casa de cima desses vizinhos, o que faz nós compartilharmos o quintal e o que fez meus pais criarem uma amizade com eles e o meu irmão uma relação de mãe e filho com a vizinha.) e eu estava em casa, já que eu não estava me sentindo bem e, por não estar me sentindo bem, acabei dormindo para ver se a dor passava, mas eu não sabia o que tinha acontecido naquela manhã, já que eu estava dormindo também (se não me engano eu acordei lá pelas 11hrs e fui dormir por causa da dor lá pelas 15hrs). Meu pai chamou meu irmão para conversar, o que deixou meu irmão surpreso e desconfiado. Eles começaram a conversar e meu pai começou a jogar muitas coisas na cara dele, o que fez meu irmão falar coisas que meus pais não queriam ouvir, deixando meu pai mais puto e minha mãe chorosa, a discussão continou e eles só pararam pq minha mãe já estava chorando e pediu para eles pararem, se não eles já teriam se batido e meu pai teria expulsado meu irmão de casa. Meu pai e meu irmão nem se falam mais desde que isso aconteceu. Chegando no final de junho/começo de julho, eu desabafei com a minha irmã sobre tudo o que tinha acontecido e contei que eles estavam falando muito mal dela e da avó dela para os vizinhos, contando mentiras e fazendo a avó da minha irmã ser a vilã. O que eles falaram e o pq? Vou explicar agora:
meus pais tinham pego meu celular e me deixado de castigo após eu não ter feito o hamburguer do meu pai (eu tinha feito dois para mim e dois para meu irmão, além de que eu estava quase caindo de sono na hora), e por isso tudo o que eu sentia eu escrevia em meu caderninho particular, e não sei se foi a vizinha ou se eles leram esse caderno, mas chegou no ouvido deles de que eu não confiava mais neles e que meus pais eram meus irmãos (o que eles são, já que eles cuidam mais de mim e me tratam melhor do que meus próprios pais), e por causa disso eles disseram que a culpa de minha irmã ser tão "mal-educada, arrogante e desviada da igreja" é culpa da avó dela, pq meu pai lutou pela guarda da minha irmã (graças a deus não conseguiu) e por causa da avó dela a minha irmã não foi criada com a gente, já que na fanfic que eles criaram na mente deles a avó dela """fez a mente""" da minha irmã, sendo que por conta do meu pai a minha irmã quando criança teve crises de ansiedade por causa da presença dele e por ser forçada a ir pra casa dele todo fim de semana. Antes de eu contar tudo para a minha irmã, vem a outra parte da história.
lembra que eu disse que estava sem celular? Meus pais disseram que eu só teria de novo se eu tirasse a senha ou se eu falasse a senha para eles e se eu desinstalasse TODAS as minhas redes sociais (fazendo uma tremenda invasão de privacidade apenas para poder me controlar da forma que eles quiserem), e por conta disso eu tive que assumi para a minha mãe a minha sexualidade e o meu namoro de 2 meses com a minha atual namorada (a gente vai fazer 3 meses agora em agosto 😇💕), o que fez ela me prometer confiar nela e contar tudo pra ela (oq eu obviamente n to fazendo), além de me proibir de assistir o SEU canal e do maicon (n assisto o orochi pq tenho preguiça e óbvio q eu n parei, eu ein, é a única forma q eu tenho de rir). Dei a senha e coloquei senha na conversa dos meus irmãos já q eu tenho o whatsapp mod. Falei absolutamente tudo o que aconteceu para a minha irmã, o que fez ela chamar meu pai para conversar e a minha mãe vir descontar a raiva dela em mim por eu ter falado que falaram mal dela e da avó dela para ela.
desde então, meus pais estão numa enorme briga contra eu e meus irmãos enquanto os vizinhos passam pano pra eles e dizem que "eLeS sÃo PaIs E sAbEm O mElHoR" e que "mEu PaI eRa AsSiM e Eu AmAvA eLe MeSmO aSsIm", querendo passar pano e comparar duas situações totalmente diferentes. Um adendo: os vizinhos são crentes. Minha mãe diz que é tudo um plano meu e dos meus irmãos para acabar com o casamento dela (um tapa no quengo dessa crente fanfiqueira) e meu pai vive me tratando mal.
vou contar o que aconteceu desde quinta-feira (23/07) até o momento atual (domingo, 26/07).
dia 23 foi aniversário do meu pai e nós fomos no centro comprar coisas para a festinha que aconteceu aqui no quintal de casa. Meu irmão acordou cedo e deu parabéns para o meu pai, que retribui com uma cara de nojo e nem um obrigado disse. Já eu, dei o parabéns a noite, já que quando acordei meu pai tinha ido trabalhar e quando voltei do centro eu dormi pq tava mt cansada (a gente andou o centro todo), e só vi meu pai a noite quando ele chegou do mercado. Ele me retribuiu com um "achei que não fosse acordar nunca" e minha mãe mandou a seguinte pérola: "você não era assim".
aliás, pulei uma parte que vai deixar você muito puto: o dia em que a minha mãe virou atriz.
meus pais estavam na casa da minha avó (que mora longe) à trabalho e eu fiquei em casa com o meu irmão (que foi muito bom). Era de madrugada, quase duas da manhã, meu irmão tinha dormido e eu tava acordada lendo, até que recebo mensagem da minha mãe dizendo que não consegue dormir. O motivo? Pq eu disse que não confio nela. nós duas tivemos uma conversa bem longa e eu disse que não confiava nela pq ela não confiava em mim, mas ela disse que confiava sim. Se lembra de quando eu estava sem celular? Eu perguntei no dia q eles pegaram meu celular o pq e ela disse exatamente assim: eu não confio em você. Sim, ela mentiu pra mim.
atualmente a história não tem desfecho, mas meu irmão deve sair de casa até o ano que vem e eu devo ir morar com a minha irmã até o ano que vem também. Me respondam, eu sou babaca por não confiar em meus pais?
me desculpem pelo textão gente.
submitted by cadelinha_auau to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.19 01:47 Ranmaaa Sou babaca por querer cortar todas as ligações com meu melhor amigo?

Yoo turminha, Luba(se estiver lendo isso), editores maravilindos, gatas e cadaveres de papelão, tudo bom cô6? Bom... há quase três anos atrás eu conheci um menino que é uns dois anos mais velho que eu (vamos chamá lo de Dio) ele tem quase 15 agora e mês que vem vou fazer 13. Nós conversavamos bastante e viramos bastante amigos com o tempo.
Se passou um ano desde que nos conhecemos e começamos a nos afastar um pouco por que eu queria focar mais nos estudos já que era final de ano e ele só ficava brincando. Era quase semana das provas finais e o melhor amigo dele contou pra mim que Dio gastava de mim mas tinha vergonha de falar pois ele era mais velho. Eu obviamente não acreditei e deixei prá la.
Era um mês antes das provas finais e Dio se declarou pra mim e me pediu em namoro. Fiquei nervosa para o um caramba pois ele era meu melhor amigo e eu não sentia nada. Acabou que depois de uns minutos de eu morrendo por dentro para não querer ferir os sentimentos do meu amiguinho, ele acabou me dizendo que era troll. A partir dai ele sempre se declarava e dizia q era mentira e eu simplesmente não ligava.
Depois de uns dias que isso aconteceu tivemos uma conversa séria e ele finalmente falou que realmente gostava de mim só tinha vergonha de falar. Não sabia o que dizer então fui pedir um conselho para a minha melhor amiga(SPOILER: Essa foi a pior idéia que eu pude ter na minha vida). A irmã dessa minha amiga ia fazer uma festa de aniversario então resolvi ir já que ela me convidou e seria a oportunidade perfeita para pedir o conselho.
Chegando lá contei tudo para ela e o ótimo consrlho que a minha preciosa amiga falou foi:" ah aceita o guri em namoro logo! Ele gosta de você e vocês parecem ser bem próximos". Eu disse a ela que não sentia o mesmo e não me sentia nem um pouco preparada para namorar mas resolvi ouvir o que ela disse.
Cheguei em casa, aceitei o namoro. Ele era super fofo e gentil comigo apesar de ser um pevertido as vezes. Eu tava tentando gostar dele mas não deu certo. Assim que a semana de provas começou, eu disse pro Dio o que eu pensava e foi basicamente isso:" Olha, me descupa mas eu quero terminar. N ão me sinto confortavel e muito menos preparada para um relacionamento desses e quero terminar isso o mais rapido possivel para não nos machucarmos tanto.". Ele aparentemente aceitou tudo de boa e ficou fazendo um draminha(SPOILER: Éh obvio q ele não aceitou nada de boa ;_;)
Durante o resto de toda a semana, Dio ficou me flodando mensagens de amor e dizendo coisas como "você só está com vergonha por eu ser mais velho" ou "eu sei que você gostq de mim, mas não quer que seus pais saibam.". Fiquei irritada e pedi para ele parar vàrias vezes mas Dio só mandava mais e mais mensagens então eu resolvi bloquear ele. No início só estava com raiva mas depois de uns dias me senti cupada pois eu só alimentei aquela mentira e eu soube depois que ele reprovou de ano.
Ele era meu amigo e não aguentava o sentimento de culpa então resolvi desbloquear ele depois de uns 5 meses desde aquilo aconteceu e pedi desculpas. Disse que ele poderia me odiar e chingar o quanto quiser, mas ele acabou só dizendo que estava feliz que eu me importava e que ele poderia conversar comigo de novo.
No começo estava tudo TOP, mas foi passando o tempo e ele foi me mandando declarações e mensagens de amor de novo. Eu disse para ele parar, mas mesmo assim ele continuou apesar de ser bem menos. Eu já estava ficando com raiva de novo até chegar ontem que foi a gota d'agua.
Bom... Ontem nós estavamos conversando sobre irmão e tal até ele dizer que nós somos quase irmãos por conversamos tanto. Eu apenas falei que não tinha nada a ver pois só conversavamos sobre memes, jogos e as vezes animes, não tinhamos nenhum tipo de segredo e ele definitivamente não me conhece de verdade.
Dio insistiu em dizer que somos irmãos e já praticamos inc3st0 ano passado. Isso me deixou pistola já que só foi um namorinho de internet que durou literalmente uma semana. Até chegou o ponto em que fiz uma pergunta que seria "a prova de que ele é meu imão de verdade". Perguntei para ele qual é o meu maior sonho mas ele só respondeu coisas como " ser desenhista de hentai"(pois eu amo desenhar)," que eu queria fazer parte de um ecchi" ou que "ter um namorado de anime já que ninguém da vida real te agrada". Obviamente fiquei com ódio no coração e pedi para ele falar sério.
Dio ficou apenas enrolando falando coisas estranhas e susgestivas até eu ameaçar bloquear ele. Finalmente o guri parou de falar coisa estranha e começamos a falar sério de verdade. O meu sonho para mim é algo muito importante que eu quero realizar um dia então resolvi confiar nele para contar isso. O meu sonho é que (vou contar aqui mesmo pq ningurm me conhece ne) Eu AMO com todas as minhas forças música e o meu objetivo é um dia ser guitarrista profissional e entrar para uma banda. Ele simplismente leu a mesagem e disse que depois ia contar o sonho dele jà que esse era nosso acordo.
Se passou mais de 30 min e ele não falava até eu ameaçar de dar block de novo. Depois de tanto tempo ele contou que o sonho dele é " Estar abtaçado contigo em uma praia a observar um belo pôr do sol enquanto nosso cachorro corre na areia com os nossos filhos. Eu... Fiquei com ódio extremo e a minha vontade era de ir na casa dele e passar a faca no golfinho dele. Dio ficou falando que não sabia o motivo de eu estar com tanta raiva (mesmo eu tendo falado milhares de vezes que para ele para com aquilo). Apenas disse que està obvio o motivo de estar com raiva e até agora apenas visualizo as mesnsagens dele. Estou pensando em bloquea lo de todas minha redes sociais.
Entãaao.... Eu acho que na parte do namoro nós dois fomos babacas. Motivo: Eu por escutar um conselho idiota e iludir ele. Dio: Por mesmo sabendo que eu não sinto o mesmo, continuou falando coisas estranhas e tentando me convencer a gostar dele. E na segunda parte? Eu sou babaca por querer difinitovamente cortar todas as nossas relações ou ele é babaca por continuar falando coisas estranhas?
submitted by Ranmaaa to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.16 16:34 fobygrassman TINDER PARA CASADOS

TINDER PARA CASADOS O aplicativo para encontrar brasileiros discretos em menos de 2 horas, garantido!
Descubra o Aplicativo de Traição Melhor do que Tinder Escrito por uma dona de casa traidora real. traição rede "Ashley" é uma residente de Recife e tem sido uma usuária ativa da Ashley Madison desde 2016.
Tinder mudou totalmente o jogo de namoro. As mulheres estão mais abertas a conhecer homens on-line e mais abertas a relacionamentos casuais e sexo de uma noite por causa disso.
Mas e se você for casado ou comprometido?
Você ainda pode usar o Tinder?
A RESPOSTA É NÃO.
Não use o aplicativo Tinder se você é casado, com certeza será pego.
Então, se você está se chutando, desejando que Tinder já estivesse por perto antes de se casar, leia isso! Porque existe um aplicativo anônimo tipo tinder para casados.
Para se inscrever no Tinder, é necessário ter um perfil no Facebook. Isso significa que o Tinder usa seu perfil pessoal do Facebook para criar a base do seu perfil do Tinder!
TINDER USA SEU NOME E IDADE DO FACEBOOK!
Além disso, o Tinder é tão amplamente utilizado, mesmo que você decida se inscrever com sua conta do Facebook, seria apenas uma questão de tempo até que uma das amigas solteiras de sua esposa o veja no Tinder e conte a ela.
Você não pode enviar fotos discretas para o Tinder e esperar obter resultado, porque existem milhões de homens com fotos de rosto inteiro com as quais está competindo.
Então, isso significa que, se você é casado ou comprometido, está fadado a perder toda a diversão e emoção de passar o dedo no Tinder?
Felizmente, existe um "tinder para casados" e é assim como funciona o tinder para casados!
ASHLEY MADISON É UM APLICATIVO PARA CASADOS TRAIREM QUE FUNCIONA EXATAMENTE COMO O TINDER.
Ashley Madison foi criada exclusivamente para traidores, então a maioria dos usuários são casados ou comprometidos e há uma "destruição mutuamente garantida". Ou seja, se alguém o vê na Ashley Madison (tinder para traição), ele não o denuncia, pois precisaria explicar por que estava no site.
Ashley Madison funciona perfeitamente no seu telefone da mesma maneira que o Tinder E você pode ver usuários próximos a você ajustando o raio da pesquisa.
O Tinder para casados possui recursos adicionais que o Tinder não tem, feito especificamente para mantê-lo 100% seguro e discreto.
Ashley madison permite que você se inscreva sem verificação de e-mail, o que significa que você sempre pode reivindicar que outra pessoa usou seu e-mail e que você não tinha ideia.
O Tinder obriga você a usar seu perfil pessoal do Facebook com o nome e idade reais aparecendo no seu perfil.
Ashley Madison tem um assistente de fotos que permite colocar uma máscara sobre o rosto ou desfocar a imagem para que você não possa ser identificado. Além disso, os usuários de Ashley madison compreendem muito mais que talvez não vejam uma imagem clara do rosto imediatamente. Tente fazer isso no seu perfil do Tinder e veja quantas correspondências você recebe.
Ashley Madison também oferece uma galeria privada onde você pode armazenar suas fotos e conceder e revogar o acesso aos usuários a qualquer momento.
No Tinder, todas as suas fotos podem ser visualizadas.
Ashley Madison tem um site para dispositivos móveis muito rápido, para que você não precise baixar um aplicativo para o seu telefone. Isso é especialmente útil para pessoas cujos parceiros freqüentemente têm acesso ao telefone.
O Tinder só pode ser acessado como um aplicativo que você precisa baixar no seu telefone.
Ashley Madison é 100% grátis para mulheres, o que garante uma base de usuárias femininas ativa e envolvente.
Tinder cobra homens e mulheres.
Se você quer toda a diversão e emoção de Tinder, mas é casado ou tem um relacionamento, definitivamente deveria experimentar o Tinder para Casados: Ashley Madison.
FATOS RÁPIDOS SOBRE ASHLEY MADISON Fundada em 2002
Lançada no Brasil em 2011
50 milhões de membros em todo o mundo
2 milhões de membros brasileiros
15% dos visitantes são do Brasil
100% gratuito para mulheres
submitted by fobygrassman to TinderParaCasados [link] [comments]


2020.07.09 13:46 LeonorUwU Meu ex psicopata que não superou o término

Olá Luba, editor, falecidos bonecos de papelão, gatas e público que está a ler :D então hoje eu vou contar a história de um dos meus piores relacionamentos passados( tem treta, violência, boatos falsos e muito mais) ps: Luba eu sou de Portugal estou tentado adaptar a minha história para português do Brasil :).... Então tudo começou quando eu estava por volta dos meus 10/11 anos. Na época eu tinha decidido entrar no grupo de escuteiros da minha cidade, pois parecia muito legal e tinha alguns amigos lá e tals. Quando eu comecei a frequentar o grupo, eu conheci um garoto (vamos chamar ele de Carls), e imediatamente fiquei amiga dele pois ele era muito simpático e era amigo dos meus outros amigos. Algumas semanas se passaram, e o nosso grupo de escuteiros participou numa procissão. A gente estava lá e tals, e teve uma hora que a gente parou. Nessa hora eu e os meus amigos incluindo o Carls, fizemos uma rodinha e começamos a jogar joguinho e de criança (que na época era verdade ou desafio) então do nada os meus amigos começaram a falar que tinha um garoto do grupo que estava gostando de mim. Eu fiquei muito curiosa e confusa ao mesmo tempo pois eu apenas frequentava o grupo fazia poucas semanas. Daí eles me falaram que o garoto que estava afim de mim era o Carls. Eu pensei para mim mesma (OK tudo bem, mas eu não sinto nada por ele, apenas somos amigos e nada mais). Então a gente retornou para a procissão e os meus amigos não paravam de falar que eu tinha que ficar com ele porque ele gostava muito de mim e eu não poderia recusar. Então alguns dias depois ele me pediu em namoro, mesmo a gente não se conhecendo muito bem, eu aceitei devido às obrigações que meus amigos me impuseram. (eu era uma criança muito burrinha :/). A gente começou a namorar e todos os dias ele ia me procurar na escola, e ficava perguntando para todo o mundo onde eu estava pois ele precisava de estar comigo toda a hora. No inicio eu não vi nada de errado pois achava que era coisa de namorado, mas então alguns dias depois o nosso grupo de escuteiros fez um acampamento, que foi muito legal inclusive, mas os meus amigos ficavam toda a hora falando coisas do género (AH SE BEIJEM! DÊM AS MÃOS) eu estava ficando meio cansada disso. No último dia do acampamento a gente voltou para casa de ônibus, eu sentei do lado dele por pura obrigação. Então eu tentei conversar com ele para melhorar um pouco o clima. Eu decidi perguntar quais eram os seus maiores sonhos, e ele respondeu (MEUS MAIORES SONHOS SÃO ME CASAR COM VOCÊ E TER FILHOS COM VOCÊ!) após ele falar isso eu tive a certeza de que o Carls estava obesecado por mim, e não era normal falar esse tipo de coisa para uma pessoa que você conhece FAZ NEM UM MÊS. Eu decidi por mim mesma que não queria continuar com aquilo, pois não era saudável, ele parecia um stalker psicopata, que ficava me seguindo para todo o lado e não deixava eu falar com outros garotos. Após algumas semanas eu tomei coragem e terminei com ele... Não fui capaz de dizer a ele diretamente, por isso pedi à minha amiga para falar para ele que eu queria terminar (O QUE FOI UM GRANDE ERRO). Algumas horas depois, umas meninas da sala dele me chamaram no banheiro para conversar , e feita burra eu fui, quando cheguei na zona em que a turma do Carls tinha aula (a gente estava separado por turma) um amigo dele ME EMPURROU COM TODA A FORÇA CONTRA UM CACIFO ESCOLAR, e o impacto fez com que eu quase QUEBRASSE MEU BRAÇO. Logo após ele ter me agredifo ele falou (PORQUÊ VOCÊ TERMINOU COM ELE SUA IDIOTA!? VOCÊ ERA MUITO IMPORTANTE PARA ELE E NÃO TINHA O DIREITO DE TERMINAR COM ELE >:(...) eu fiquei muito assustada e entrei a correr para dentro do banheiro femenino para falar com as tais meninas da sala dele. Quando eu entrei ELAS ME RODEARAM E ME OBRIGARAM A FALAR O PORQUÊ DE EU TER TERMINADO COM O MENINO. Eu imediatamente comecei a chorar, e expliquei para elas tudo o que Carls fazia, e ele parecia meio psicopata. Elas me compreenderam e me deixaram ir. Depois disso eu fui para a minha aula e me falaram que Carls passou a sua aula inteira chorando e que a culpa disso tudo era minha E QUE EU ERA HORRÍVEL. Depois da aula me chamaram denovo mas dessa vez tinha sido um amigo do Carls, quando eu cheguei na turma dele, ESTAVA TODO O MUNDO REVOLTADO COMIGO, PORQUE O IDIOTA DO CARLS REVOLTOU TODA A SUA TURMA CONTRA MIM, eu estava assustada com todos aqueles olhares ameaçadores, e perguntei o que estava acontecendo e o porquê de todos estarem me olhando daquele jeito. Em seguida uma menina me falou que o Carls tinha espalhado o boato de que EU TINHA DEIXADO ELE POIS EU ESTAVA APAIXONADA POR OUTRO MENINO DE OUTRA SALA( o que era totalmente mentira) E TODOS ME FICARAM ENCARANDO COMO SE EU FOSSE UMA FALSA. Eu tentei falar para todos eles que era mentira e que o Carls era demasiado apegado a mim e que eu não me sentia confortável com aquele relacionamento "abusivo" e falei que estava namorando ele por PURA OBRIGAÇÃO, e nunca falei que estava 'apaixonada' por ele. Na hora ninguém acreditou, pois ele tinha espalhado aquele boato de uma maneira que me fez passar PELA MÁ DA HISTÓRIA. Semanas se passaram e eu cortei o contacto com as pessoas daquela turma. Tinha algumas pessoas lá (mais ou menos 3) que ficavam me falando que o Carls chorava em TODAS as aulas e os professores estavam ficando fartos do seu choro irritante. Meses se passaram e as coisas acalmaram. As pessoas da turma dele deixaram de me olhar como má da história, e começaram a perceber que aqueles boatos eram mentira, e que eu estava sendo obrigada a estar com ele. ANOS SE PASSARAM, e eu tentava recuperar a minha amizade com ele, porque eu sei que embora ele tivesse aquele lado meio psicopata, ele até era um garoto legal. Eu e Carls meio que recuperamos a nossa amizade, mas ele me propôs vários pedidos de namoro denovo.... E teve um em específico em que ele falou que se eu não aceitasse, ELE NUNCA SERIA FELIZ E QUE PODERIA TIRAR A PRÓPRIA VIDA..... e tudo isso quando a gente era criança. Os anos se passaram e a gente continuava falando mas eu tentava não lhe dar expectativas para ele conseguir perceber que eu não queria nada com ele. Enfim essa foi a minha estória.... Foi meio nhe, mas espero que tenha entretido vocês :D beijos <3
submitted by LeonorUwU to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.08 14:56 xDark0x Levei um fora da minha ex que ainda amo

Olá! Então, é minha primeira vez aqui escrevendo, e estou um pouco nervosa pois nunca fiz isso antes, tenho dificuldades em falar sobre o que sinto e tal, mas chegou à um ponto em que realmente preciso desabafar. Vou explicar tudo com datas pra ficar mais fácil. Ultimamente venho passado por uma série de eventos os quais me deixaram muito mal. Tenho uma ex namorada, a primeira e única com quem me comprometi até hoje (tenho 18 anos), em março de 2018 conheci ela através de uma amiga e desde então nos demos muito bem. Desde que a conheci já despertou um interesse e sentimento em mim. Tínhamos várias coisas em comum, gostos musicais, forma de ver o mundo e afins. Logo nos tornamos muito próximas, confiavamos tudo uma na outra e após uma jogada de charme aqui, umas coisinhas românticas ali (kkk) Consegui conquista-la. Isso em junho. Namoramos por 6 meses, muito felizes, mas devido uma interferência da família dela, que ficou sabendo de nós duas por intermédio de uma professora do colégio que conhece a mãe dela, (fdp fofoqueira) tivemos que nos separar. A mãe dela me contatou e com base em ameaças de contar à minha família, me fez confessar nosso relacionamento. Depois que o sangue esfriou e fiquei "mais calma", me senti muito mal, pois senti que à traí, me senti mal por acreditar na mãe dela (que considerando a pessoa que é não merece confiança) que disse não fazer nada com ela se eu falasse tudo. Paramos de nos falar, e como já era dezembro, estavamos de férias e não nos víamos (só tínhamos oportunidade de nos ver na escola). Só no ano seguinte, no primeiro dia de aula consegui contata-la e descobri da forma mais dolorosa possível que não sentia mais nada por mim e me odiava pelo que fiz. Me senti péssima, por ainda à amar e pela situação em si, que não saía da minha cabeça. Tivemos só essa conversa e depois nos distanciamos novamente (por escolha dela). Lá pra junho do ano passado, ela começou a dar sinais de querer voltar a falar comigo, depois de longas conversas sobre esse assunto, finalmente nos entendemos, mas não totalmente da forma como gostaria. Ela disse novamente não me amar mais. Foi doloroso, mesmo já tendo ouvido-a dizer antes. Ela estava passando por momentos terríveis com a família. Não é uma pessoa tão fácil de lidar (a criação ajudou um pouco nisso), então falar com ela naquela época foi bem complicado. Queria ajudá-la mas ela não permitia que eu o fizesse. Arduamente fui conquistando a confiança dela, até que desabafava comigo e eu tentava ajudar da forma como podia. Aos poucos ela foi melhorando e fomos resgatando a amizade e por ainda nutrir sentimentos românticos por ela, as vezes dava umas cantadinhas bobas, mas as vezes sérias também (Claro que não no momento que ela estava fragilizada, mas sim nos de descontração, para deixar bem claro). Em setembro nos aproximamos mais e finalmente consegui com que ela demonstrasse gostar de mim da mesma forma que eu dela. Pouco tempo depois a família novamente descobriu a gente, da mesma forma que da outra vez, mas dessa, eu estava de certa forma mais forte. Bom, consegui conversar com a mãe dela sem demonstrar medo pelo menos. Chegamos à conclusão de que realmente não dava pra ficarmos próximas na escola. e em meio à isso tudo, pedi ela em namoro pela segunda vez. Dessa, não mantinhamos o contato de antes, muito raramente ficávamos juntas, já que ela era de outra turma. mas passando o tempo começamos à relaxar um pouquinho e passar ainda mais tempo juntas, sempre que podíamos, porém com mais cautela. Dessa vez, durou 2 meses e meio, de outubro à metade de janeiro. Ela terminou comigo de novo, não por deixar de sentir, mas eu estava passando por questões pessoais (que até hoje estou lidando, e que me incomoda bastante falar). Como ela além de namorada era minha melhor amiga, falei com ela por mensagem sobre o assunto, e depois de conversar, de um dia inteiro completamente estranho e nós indiferentes, eu por me sentir mal por estar daquele jeito, ela acredito que por não estar acreditando e por lamentar a situação, no fim do dia ela terminou tudo. Foi terrível pra mim, confesso que fiquei com raiva de certa forma, pois queria ela do meu lado para enfrentar aquilo, eu estava apavorada sem saber o que se passava direito na minha cabeça. Mas no fundo, por trás de tanto sentimento ruim, entendia que era direito dela. Era total direito dela decidir onde ficar e até onde pode aguentar também, nunca foi uma relação fácil, e não posso exigir de alguém o que eu faria dentro da relação sendo que somos pessoas diferentes. Ainda mantinhamos contato, mas de forma meio estranha, até que ela começou a demorar muito para responder e por fim, sumir por dois meses. No aniversário dela em maio, fiz um pdf com várias mensagens e desenhos (felizmente sou boa com desenhos) e mandei para o email dela, isso sem muita pretenção, apenas como forma de carinho. Depois de 7 dias me respondeu pedindo desculpas por não ter visto já que não olhava o email (algo totalmente válido pois também não olho hehe) e dizendo que se eu quisesse voltar a manter contato que gostaria. Voltamos a nos falar por outra rede, diferente da que nos falávamos antes, e foi tudo muito bem, ainda demorava para responder, mas não posso cobrar já que deve ter as ocupações dela, assim como tenho as minhas. Embora sempre dê aquele desapontamento e dúvida sobre ser "importante" ou não kkk. E à partir de agora voltamos ao que está acontecendo atualmente. (Estou resumindo o máximo que posso pra não ficar maior do que já está.) Há umas três semanas, em uma conversa casual ela perguntou brincando se eu ainda sentia o mesmo por ela, e eu muito envergonhada disse que sim. No outro dia, acordo com um texto dela (ela gosta muito de escrever) falando sobre amor, sobre estar apaixonada por alguém que sempre atrai ela de volta e por isso quer manter em segredo. Automaticamente me animei e fiquei profundamente feliz, "ela ainda me ama!" Pensei. E dessa vez sem eu mesma ter que correr atrás. Escrevi algo respondendo à ela e mandei uma letra de música que gostava muito pra que ela ouvisse. Ela disse que escreveu aquilo aleatoriamente, mas sabe quando você vê que a verdade não é aquilo que a pessoa diz? Enfim. Foram assim as últimas três semanas, com textos românticos que se encaixam perfeitamente na nossa história, respostas minhas, e mais textos que também mandava pra ela. Ela sempre respondia dizendo que ficaram muito bonitas as coisas que escrevi, e era o mesmo que eu dizia para os dela, obviamente direcionados para uma pessoa, mas que por conta da primeira fala dela de querer "manter em segredo" eu não entrava em detalhes, embora estivesse crente de que eram para mim. Textinho vai textinho vem, perguntei se o que ela escrevia era para alguém (Isso já confiante de mim, mas queria que "confessasse") depois de enrolar um pouco para falar, acabou dizendo e era o nome de outra garota :) Fiquei sem entender nada, não sabia como reagir. Me senti uma idiota por ter imaginado que era pra mim e ao mesmo não entendia como aquilo encaixava tanto em nós e em outra situação. Não conheço a menina, mas aparentemente não à corresponde, enfim. Me senti tão mal, principalmente por ter pensado que as coisas eram pra mim e ter descoberto de uma forma tão brusca. Fui conversar com ela para tentar esclarecer tudo e foi até bem rude ao responder. Disse que não via mais futuro em nós e não queria mais a confusão que era "estar comigo". Isso aconteceu ontem, e até agora não sai da minha cabeça. Dormi pensando nisso da mesma forma que acordei hoje e foi a primeira coisa que veio à cabeça. Não é a primeira vez que acontece situações que me deixam assim, em relação à ela. As vezes parece que estamos em um looping infinito sabe? Pois sempre passamos pelos mesmos momentos, desde os complicados, aos de investidas minhas e a "volta do amor" dela, que é algo que me deixa com muitas dúvidas por dentro, pois poxa, que amor é esse que eu preciso ir atrás? E sinceramente, isso me deixa com tantos questionamentos e angústias, eu realmente à amo, e me sinto uma idiota por isso. Eu odeio me sentir dessa forma sabe? As vezes odeio ser dessa forma. Me sinto idiota por ser tão intensa em ralação aos sentimentos, principalmente numa época em que isso é pouco levado em conta por muita gente. Ocorre um misto de emoções, angústia, tristeza... Por tudo que já aconteceu e pelo que estou sentindo agora. Tenho dúvidas reais sobre nosso fututo, não sei o que pode acontecer conosco, se podemos ficar juntas, ou se realmente estamos fadadas à seguir caminhos diferentes; e isso é uma das coisas que mais me apavora, não saber o que irá acontecer, se esse sentimento por ela vale realmente a pena ou estou apenas perdendo tempo em minha vida, numa coisa que não terá fundamento. Me sinto afogada nesse misto de sensações, sentimentos de amor e tristeza que não sei como fazer passar.
Não sei se alguém vai ler até o final porque realmente ficou enorme kkk, mas de qualquer forma já vale o desabafo. Não tenho ninguém para falar sobre isso
submitted by xDark0x to desabafos [link] [comments]


2020.07.06 06:08 Dinossaubrina Sou a babaca por querer terminar meu namoro (ou não)?

Bom, vocês podem estar bem confusos por causa do título, mas a situação é o seguinte: namoro com meu namorado (vou chamar ele de Rodolfo) a 6 meses e no momento ele está internado numa clínica de reabilitação. Antes que o ponto principal da história comece, acho justo dar a vocês um contexto geral sobre o nosso relacionamento, ok?
É uma longa história, mas resumindo, ele fuma maconhss já faz uns 4 anos mas ultimamente ele tinha um comportamento agressivo, então um certo evento (explico daqui a pouco) foi a gota d'água para a família dele, que o colocou lá( ele já está lá fazem 3 meses)
Em geral sempre somos muito carinhosos um com o outro e extremamente preocupados com o bem estar dos dois. Quando brigávamos, sempre conversávamos sobre o assunto com muita calma e carinho. Nunca tivemos problemas muito grandes além de ciúmes e inseguranças da minha parte. Sempre fomos muito abertos sobre tudo da nossa vida antes do outro e como queríamos que fosse o nosso futuro.
Tudo começou com uma dm que eu vi no Messenger dele - no aniversário dele - com um menino, onde estava escrito "apaga as mensagens para a sua namorada não encher o saco". Na conversa eles trocavam ideias, fotos sensuais e muitos elogios. Conversamos sobre o assunto, ele me disse que não tinha a intenção de realmente flertar com ele, apesar de ter revelado alguns fatos sobre o corpo dele e ter mandado algumas fotos dele, isso além dos elogios entre eles, mas no final das contas conversamos como sempre fizemos e acertamos tudo, mas do mesmo jeito é um assunto que causou certo abalo na relação.
Um tempo depois, minha cunhada achou um body escondido no guarda-roupa dele e do irmão, não era de ninguém que conhecíamos e muito menos nosso. Meu cunhado dizia que não era dele, nem meu namorado.. ele ainda me disse que se eu quisesse insistir naquela tecla, apesar dele já ter dito que não era dele nem sequer sabia do body, ele iria a fundo comigo naquela história, mas acabou que por querer evitar brigas entre ele e o irmão, preferi deixar essa história pra la.
Ele foi expulso de casa e veio procurar abrigo na minha quarentena correndo solta de mãos dadas com o coronga e foi quando ele entrou numa briga com meu irmão (que nem sequer mora comigo) e no meio disso tudo sofri uma agressão do meu irmão (quebrei meu quadril e rompi um ligamento, mas até aí tá tudo bem) . O fato de Rodolfinho ter me defendido ao ponto de sair na mão com meu irmão foi o auge para a família dele, que decidiu colocá-lo na clinica mesmo sendo o pior pesadelo dele. Foi um grito de socorro pra eles Mais tarde descobri pela mãe dele que ele estava sendo extremamente agressivo com a família, que quebrava coisas dentro de casa, que ele gritava o tempo todo com eles e ainda mais que talvez eu ainda não saiba. Realmente me parecia uma pessoa completamente diferente do Rodolfo que eu conhecia, aquela pessoa calma e tranquila que resolvia tudo na conversa e no carinho comigo. Dei a minha palavra a ele que eu estaria lá pra ajudá-lo a passar por essa fase difícil que seria a reabilitação, e que não desistiria dele, já que o amo e ele faria o mesmo por mim.
isso tudo foi contexto, agora vamos para a parte real da história, que é o que tenho a duvida se estou sendo babaca em pedir o término, ou não***
Infelizmente ele não se conforma que lá ele não pode fazer o que ele "gosta" que seria fumar, beber, etc. Nisso ele misturou alcool gel com suco, e tomou.. Obviamente que isso gerou uma punição de duas semanas sem contato externo (ligação pra família) e o moço que cuida dele me disse que o fato de eu estar indo lá pra falar com ele, estava sendo uma distração, que ele estava muito acomodado com a situação onde ele se encontrava. Todo esse "evento" me deixou extremamente irritada, pelo fato dele já estar lá a 3 meses, achávamos que ele já teria entendido que ele teria de parar com tudo aquilo sabe?
Todos me dizem que nossa relação não tem futuro, que ele nunca vai mudar, que é uma pessoa problemática e que isso não vai me ajudar em nada. Isso me gera muita dúvida, afinal ouvir isso de basicamente todas as pessoas que você leva a opinião em consideração.. Mexe com a sua cabeça
Meus pensamentos se divide entre "devo terminar por estar pensando sobre o meu futuro e no que será bom pra mim, mesmo que me machuque profundamente e talvez atrapalhe todo o processo de recuperação dele" e "devo ser leal a minha palavra, ajudar ele a se recuperar como prometi e honrar meu sentimento continuando com esse namoro, mesmo escutando tudo isso de todos"
Detalhe, tenho 17 anos e ele 18.. Tínhamos planos de morarmos juntos na metade do ano que vem numa casa do meu avô em Praia Grande, já estava tudo encaminhado, até que a pandemia e a quarentena nos pegou de surpresa além de todo o fato clínica e briga daqui de casa. A mãe dele deixou bem claro que nos ajudaria no que fosse possível, já que na visão dela eu sou uma influência positiva na vida dele e sendo basicamente a única pessoa que ele escuta, eu "manteria ele em controle"
Sempre tivemos um espaço amplo pra podermos conversar, antes mesmo de namoramos, costumávamos sentar e conversar sobre cada passo. Até costumávamos a brincar que mesmo que algum dia ocorra um término, voltaríamos um pro outro de qualquer jeito. Estou muito indecisa e não tenho como conversar com ele devidamente até que ele saia de lá, eu jamais conseguiria ter uma conversa decente com apenas 15minutos de ligação em um dia da semana, que divido com a mãe dele aliás..
Realmente amo muito ele e vejo sim meu futuro ao lado dele, mas com tantas opiniões de pessoas que me importo tanto, me fazem ter dúvidas enormes, não sobre meu sentimento, mas o estado e o rumo da nossa relação
Agora o questionamento é: vou estar sendo babaca por sequer pensar em terminar ou se pedir o término? ou devo continuar o relacionamento e esperar mais 4 meses nessa pilha de pensamentos até podermos sentar e conversar sobre o assunto? .
(porfavor não tentem me dar qualquer visão positiva na questão do meu irmão, já que desejo que ele apodreça no fundo do fogo do inferno)
pequeno detalhe, ele tem duas ligações por semana de 15 minutos, caso eu terminasse com ele agora, seria ou por ligação ou por carta que eu entregaria para a mãe dele e ela levaria lá quando fosse levar itens básicos pra ele e tals
Peço mil desculpas pelo texto enorme e talvez pela falta de nexo, mas não durmo bem já faz algumas semanas graças a essa indecisão, amo vocês e ajuda é bem vinda <3
submitted by Dinossaubrina to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.04 08:50 fuq_daniel Não consigo esquecer uma pessoa e seguir em frente com a minha vida

Eu tinha postado isso a um tempo no advice mas fui completamente ignorado, descobri esse em pt-br e espero que aqui seja diferente, desculpem a preguiça mas eu só fiz copiar e colar mesmo texto e joguei no tradutor, então se tiver algum erro espero que consigam entender o contexto, caso tenham alguma dificuldade o texto em inglês e "mais legível" está aqui, obrigado pelo tempo de vocês!

Em 2015 eu entrei no ensino médio, logo no início do ano eu vi uma garota de uma sala de aula que estava antes da minha aula, era como se eu me apaixonasse instantaneamente, nunca tinha sentido isso antes, mas sou muito tímida e insegura comigo mesmo e o tempo passou e passou e foi só depois de quase um semestre inteiro que tive coragem de entrar no quarto dela e ligar para meu colega para dizer que o professor estava chegando, felizmente o grupo de pessoas com quem ele estava falando era o mesmo grupo de amigos que essa garota e, em seguida, ele me apresentou ao grupo, e assim minha amizade com eles cresceu, a um nível em que passei mais tempo no quarto deles do que no meu, e um dia tive coragem de conversar com a garota Eu estava secretamente apaixonado, ela estava sentada na última cadeira com a cabeça sobre a mesa, então perguntei se ela estava bem e ela disse que não e que queria ficar sozinha. Entendi a mensagem e a deixei. com o passar do tempo, tentei conversar com ela e quando estava chegando perto do final do ano já éramos melhores amigas, como eu disse, passei mais tempo na sala de aula dela do que na minha, consequentemente não participei de aulas na escola e repeti o ano enquanto ela passava.

Em 2016 eu estava fazendo meu primeiro ano do ensino médio novamente e ela estava no segundo ano, ela começou a namorar e eu ainda não tinha falado sobre meus sentimentos, mas todo mundo sabia que, no fundo, eu gostava dela, eu era o cara que as pessoas apontaram e disseram que fizemos um ótimo casal, o cara que as pessoas apontaram e disseram "esse cara gosta dela", mas a única coisa que eu sabia fazer era negar esse sentimento, com medo de que, se eu me abrisse para ela, nós acabávamos nos afastando um do outro, e eu gostava tanto dela, que ainda me lembro de um pensamento que tinha naquela época: "Eu gosto muito dela, por poder estar perto dela, de poder vê-la todos os dias na escola, já me sinto a pessoa mais feliz do mundo ", um pouco depois aconteceu algo muito importante, eu estava tocando no celular dela e abri as conversas com o namorado no WhatsApp, eu tinha um amigo no do lado e ela começou a gravar um áudio dizendo que a garota que você gostava era muito gostosa e eu comecei a dizer simi Além disso, esse áudio deve ser cancelado, mas em vez de arrastar o dedo para o lado e parar de gravar, minha amiga tirou o dedo da tela e enviou o áudio. Naquela época, a função de excluir mensagens era apenas um sonho, e o namorado dela ouviu o áudio. Outro dia na escola, a garota que eu gostei estava muito chateada comigo e disse que tinha terminado de namorar, ela disse que acreditava que eles ainda estavam namorando, mas o tempo passou e passou e eles não namoraram novamente, e mesmo assim eu ainda não disse que eu gostava dela. O fim do ano estava chegando e, novamente, passei mais tempo na sala de aula dela do que na minha própria sala de aula, e não passei no ano novamente, e na escola que estava estudando na época, se você não passasse o ano duas vezes você será transferido para o turno da noite.

Em 2017, cursando o primeiro ano do ensino médio no terceiro ano e ela no último ano, mas no turno da manhã, participei de um quarto das aulas e depois pedi para me transferir para outra escola onde estudaria pela manhã e o horário para a minha aula ela terminava antes da aula da minha amiga, então quase todos os dias eu a visitava ao sair da escola, mas por alguns meses eu parei de visitá-la e, quando meu aniversário, na terceira semana de setembro, eu a visitei e felizmente consegui vê-la, ainda me lembro do abraço que ela me deu hoje, foi o melhor abraço da minha vida, fiquei tão emocionado com esse abraço que comecei a chorar e, a partir desse momento, as coisas começaram a mudar, ela me convidou para sair em 27 de novembro de 2017 e, naquele dia, tivemos nosso primeiro beijo, e logo depois ela disse: "Acho que se não tivesse feito, você não teria coragem de fazê-lo", e foda-se, ela estava certa, eu passaria o resto da minha vida escondendo esse sentimento.

Em fevereiro de 2018, começamos a namorar e agora eu tinha certeza de que era a pessoa mais feliz do mundo, finalmente estava namorando a pessoa com quem sempre queria estar, e assim o ano continuou, quando no final do ano a irmã que ela descobre que está grávida e, um pouco mais tarde, acaba perdendo o bebê, e então as coisas começaram a ficar complicadas, toda a atenção estava focada nela, um pouco mais tarde, no início de 2019, seu tio faleceu e, em seguida, os pensamentos e seus comportamentos depressivos começou a se intensificar e acabei na mesma situação, paramos de conversar com a mesma frequência e, no início de agosto, alguns dias antes de completarmos um ano e meio de namoro, encerramos o relacionamento e a partir daí tempo aqui eu tenho tentado esquecê-la, eu tive alguns relacionamentos rápidos durante esse período, mas nada que realmente me pegou, em janeiro deste ano eu conheci uma garota muito legal e em fevereiro começamos a namorar, fizemos bem, mas devido para COVID-19 e a quarentena, paramos de ver cada ot ela e eu entramos em uma depressão leve novamente, voltei a ter ataques de ansiedade e pensei que ela não merecia isso e na semana passada terminamos.

Embora todo esse tempo tenha passado e esteja prestes a completar um ano desde que terminamos, eu nunca consegui tirar essa garota da cabeça completamente, e sempre me pergunto se devo chamá-la para falar, sinto muita falta dela, não me sinto mal por perder uma namorada, me sinto mal por perder minha melhor amiga, preciso de conselhos para seguir em frente, o que devo fazer? Ligar para ela para conversar ou tentar seguir em frente com a minha vida? E se sim, como devo fazer isso? Estou quase desistindo de tudo
submitted by fuq_daniel to desabafos [link] [comments]


2020.07.02 23:12 le4ndrade Sou babaca por não acreditar na ex amiga?

Olá Lubixco sem barba, editores, gatas, e pessoal que estar a veler. Minha história é um pouco longa pq começa no ano de 2018, quando o meu ex(terminamos tem dois meses) me pediu em namoro, no dia seguinte do acontecido esta garota, vamos chama la de Lars, veio nos “parabenizar” pelo relacionamento, mas ela começou a falar de uma vez que eles tinham saído e de como eles tentaram ter uma relação, mas que chegaram ao ponto de que não combinam e bla bla bla (obviamente fiquei muito puta com a falácia de Lars) por que ela era minha amiga e frequentava minha casa, sempre chamei ela para sair conosco, o que me fez passar pano para ela por no mínimo uns 3 meses, então ela voltou a ir nos roles no qual eu não chamava mais e começou a me ignorar 100%, ela nem olhava na minha cara(vaca), nisso eu já parei de passar o pano e comecei a falar pra todo mundo o que eu achava, falei para amigas dela que eu não curtia mais a presença dela (por saber que elas contariam pra ela) achei né, inocente, que ela nos deixaria em paz, mas não aconteceu ela teve a audácia de convidar o meu ex e a FAMÍLIA dele para o aniversário dela e não me chamou, aí o nível de putisse que ardia em mim subiu mais, eu mandei mensagem pra ela, falando que eu não gostei da atitude, de como ela agiu, e novamente eu inocente achei que ela nos deixaria em paz, até que houve uma festa na casa de um colega na qual eu e o ex não fomos pois sabíamos que ela estaria lá, nesse role ela falou que ele era maravilhoso, uma ótima pessoa, que ela gostava muito dele e de conversar com ele (guardem essa parte, importante!) então nos contaram o q ela disse e ele bloqueou ela de todas as redes sociais. Até que terminamos, e a uma semana atrás ela veio falar comigo, disse que não teve a intenção de me machucar e que queria voltar a ser como era antes, me disse também que ele foi atrás dela assim que acabou o namoro, queria me mostrar a conversa que tiveram, disse também, que ele era imaturo, mimado, infantil e tudo mais, que ela não queria mais ser amiga dele(lembra da parte que falei pra guardar), ela também me disse sem ao menos eu perguntar que ele foi na casa dela várias vezes depois, a única coisa que respondi pra ela foi que eu sustentava tudo que disse para as pessoas sobre o caráter dela e que nada ia me fazer mudar de opinião, que eu não queria ela por perto e que ela foi uma grande fdp. Algumas pessoas da minha galera acham que eu fui babaca com ela. O que acham? Bjoo Luba e galere!<3
submitted by le4ndrade to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.25 21:44 loca_de_selvagem Sou Babaca Por Terminar Com Uma Garota Depressiva Mesmo Sabendo Que ela Poderia Até se Matar Por Isso?

Helouhelou luba, editores, gatas, papelões (descansem em paz), possivel convidado e turma que está a ver, essa história tem muitos surtos e sofrimento ent estaja pronto kaka.
Ent, ano passado eu conheci uma menina que vou pedir que chame de varls, ela tem treze anos agr e eu tbm, ela só é uns meses mais nova, nos conhecemos quando o ano já estava acabando, mas nos demos muito bem logo de cara e ela perecia uma pessoa muito legal. Depois as aulas acabaram e eu mudei de escola e a gente manteu contato por celular e tals, mas alguns meses depois um amigo nosso arranjou pra que ela me contasse os sentimentos dela, isso mesmo, ela gostava de mim, e eu também tinha uma bela queda por ela então começamos a namorar, um daqueles namoros meio inocentes de colégio sabe? Só que ai as coisas começaram a ficar muito estranhas, eu sabia que ela era depressiva e um pouco insegura, mas não achei que fosse tão problemática que chegasse a ser abusiva, nos primeiros dias ela ficava falando comigo o tempo todo e dizendo a cada dois segundos o quanto ela me amava, eu me sentia quase forçada a dizer que amava ela também, passaram alguns dias assim, e em um fim de semana eu fui com os meus pais para o sítio do meu tio, sentia falta da minha família e queria passar tempo com eles, mas a varls NÃO ME DAVA UM SEGUNDO DE PAZ ela começou a atazanar dois amigos que a gente tem em comum pra sebar de mim e tals, ela era totalmente insegura, depois disso quando eu voltei de viajem eu ja n aguentava mais, eu comecei a pensar muito sobre isso e fiquei dividida entre a saude mental dela e a minha, ela sempre ficava oscilando entre muito feliz e ficar dizendo que ela era um lixo, e eu não queria que ela piorasse, eu estava confusa e resolvi falar com esses dois amigosque a gente tinha em comum e acabei descobrindo uma coisas bem chocante, primeiro que ela n agiu assim só comigo, com a minha amiga tbm, com um dia depois delas se conhecerem ela ja ficava dizendo que amava ela tanto que poderia se matar! E o nossa amigo, carls acabou me contando que sabia que ela tinha varios problemas e que ela tinha até dito pra ele que fez um boquete em alguém, e que tinha até mentido pra ele dizendo que não era mais virgem, detalhe ELA TEM FUCKIN TREZE ANOS, depois disso eu resolvi terminar com ela, eu falei que não dava por dois motivos, um, por que eu n servia pra relacionamento a distância e dois, por que eu ja tinha problemas demais para lidar e não podia ficar aguentando ela em cima de mim o tempo todo, ela surtou totalmente, uma hora dizia que tava muito triste a outra que tava mt feliz, disse que aceitava minha decisão mas que não queria perder minha amizade, foi atrás dos meus amigos pra ficar se fazendo de vítima pra cima deles, ela queria manter cntt comigo, mas eu não podia mais falar com ela, eu ja tenho meus próprios problemas pra lidar, também sou depressiva e ansiosa, mas ao contrário dela eu sei lidar com isso, e não ia deixar mais uma amizade abusiva afetar o meu psicológico fudido, ja que eu ja tinha ficado presa em uma durante nove anos, mas essa é outra história, no fim decidi bloquear ela de tudo, mesmo sabendo que ela poderia até mesmo fazerr uma loucura por isso.
Então luba, ela me colocou como babaca da história por ter "pisado" nos sentimentos dela, mas o julgamento é de vcs, eu fui a babaca?
submitted by loca_de_selvagem to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.25 07:19 TakanoriYumiko Sou babaca por não deixar o pai do meu filho vê-lo?

Olá Luba, Mateus/Matheus <3, editores, possível convidado, turma, pessoal que está a ver e pessoal que ainda vai ver, (Sou de Curitiba Luba se quiser pode fazer sotaque Curitibano rsrs) Então Luba a minha história é a seguinte, eu sou uma babaca por não deixar o pai do meu filho ver ele? Tudo começou no ano de 2014 (Tinha 17 anos) e ai conheci o Farls o pai do meu filho de 1 ano e quatro meses, viramos muito amigos, em 2015 eu comecei a namorar com um amigo nosso Carls, e o nosso namoro durou em torno de 2 anos, em Novembro de 2016 no dia do meu aniversário Carls terminou comigo, depois de ter feito uma festa de aniversário linda, muito linda até ai tudo bem, e o Farls bom o Farls estava sempre do meu lado, e como ele era amigo do Carls e eu, ele ficou do meu lado, me dizia que a atitude do Carls não foi nada legal, e nisso chegou 2017, passei a virada do ano de 2017 para 2018 com o Farls e sua família, pois meus pais tinham ido viajar, e como sou filha única fiquei sozinha, como Farls e eu estávamos bêbados, e todos sabem que corpo de bêbado não tem dono, acabou eu fiquei com o Farls kkkkk, não vou negar ele era bom, muuuuuuuuuuuito bom, voltando no foco, e depois dessa noite, começamos a ficar fixo, até que virou namoro, ele fez tudo bonitinho, tudo nos conformes, me pediu em namoro, foi conhecer meus pais, meus avós a parentaiada toda, e ai começamos a namorar, isso já era fevereiro, nosso namoro começou no dia 18 de Fevereiro de 2018 (guardem essa data), ok, depois disso foi só festa, suíte 14, banheira de espuma, e depois de alguns meses eu comecei a passar mal, ter alguns enjoos, e fui com a minha sogra, fazer um exame Beta HCG (para quem não sabe, testa de Gravidez pelo sangue), e o resultado? Positivo 3 semanas, eu entrei em desespero, meu coração acelerou, eu só pensava, minha mãe vai me matar, e pronto, e para contar para meus pais que eu estava gravida, os pais do Farls e Farls foram até a minha casa, (não fez mais que a obrigação dele), e ai começou tudo, pré natal, exames de sangue, vitaminas para juntar leite, e agora entra um personagem que eu considerava muito, lembra que eu falei que sou filha única? Então eu tinha uma melhor amiga, a Karls, (vagabunda), e ela era amiga do Farls, eu não ligava muito, porque eu achava o Farls me ama né vamos ter um filho, só que não, quando eu estava de 12 semanas (3 meses), eu fui na casa do Farls para a gente ir no médico fazer a ecografia para “conhecer o bebê”, eu vi uma cena que jamais esperaria isso da Karls, afinal ela era minha melhor amiga, bom era o que eu pensava né? Quando cheguei na casa do vagabundo, eu entrei no quarto dele ele estava com ela, minha melhor amiga na cama, eu dei um grito, e acabei caindo sentada no chão, e nessa de cair sentada, acabei tendo um leve sangramento, imediatamente a mãe dele me pegou no colo, me colocou no carro e fomos para o hospital, estava quase perdendo meu filho, e o Farls foi atrás todo preocupado, chegando no hospital minha sogra explicou a situação e fui levada para uma salinha em uma maca, os médicos, conseguiram salvar meu bebê, Farls tentou se desculpar, mas eu encerrei nosso relacionamento naquele momento, lembra que pedi para guardarem o dia 18 de Fevereiro? Então, depois desse episodio, meu bebê nasceu, adivinha que dia? 18 de Fevereiro de 2019, e desde a data do seu nascimento, que não deixo o Farls ver o meu filho, eu sou babaca por isso?
Obrigada desde já, Fiquem em paz, Te amo Lubixco, odeio o 6 andar hahahah, <3 <3
submitted by TakanoriYumiko to TurmaFeira [link] [comments]


PRECISA TERMINA O NAMORO PRA PASSAR NO CONCURSO? - EVANDRO GUEDES MOTIVAÇÃO DICAS PARA TER UM BOM NAMORO Como Saber Se O Namoro Vai Durar COMO FAZER O NAMORO DURAR Término de relacionamentos, como lidar? - Parte 01 MELHOR SITE DE RELACIONAMENTOS (grátis) - YouTube NAMORO: como seria se a VIDA REAL fosse como no APLICATIVO de RELACIONAMENTO?

Como Passar Tempo de Qualidade com o Namorado ou a Namorada

  1. PRECISA TERMINA O NAMORO PRA PASSAR NO CONCURSO? - EVANDRO GUEDES MOTIVAÇÃO
  2. DICAS PARA TER UM BOM NAMORO
  3. Como Saber Se O Namoro Vai Durar
  4. COMO FAZER O NAMORO DURAR
  5. Término de relacionamentos, como lidar? - Parte 01
  6. MELHOR SITE DE RELACIONAMENTOS (grátis) - YouTube
  7. NAMORO: como seria se a VIDA REAL fosse como no APLICATIVO de RELACIONAMENTO?

eleito o melhor vÍdeo de motivaÇÃo 2020 - nÃo conte p/ pessoas que vocÊ estuda ( evandro guedes hd) - duration: 5:50. ALFAFLIX - MOTIVAÇÃO PARA ESTUDAR 1,775,887 views 5:50 Pare de desgastar seu relacionamento! Marcos Lacerda - Duration: ... 4 Pilares Para Um Relacionamento Duradouro - Duration: ... COMO FAZER BARBA DEGRADE E COMO PREENCHER A BARBA? Dicas como ... #términoderelações #superação #amor #relacionamento #namoro Término de relacionamentos, como lidar? - Parte 01 Para receber TODAS as notificações do canal, acesse o link: https://www ... APP DE NAMORO - NÃO USE NENHUM SEM VER ESTE VÍDEO (AULA COMPLETA DO PERFIL MAGNÉTICO 2.0) - Duration: 17:45. SB João Abrantes 91,037 views 5 Sinais de que seu relacionamento vai durar muito tempo. GUIA DEFINITIVO DA AUTOESTIMA FEMININA https://drloveacademy.com/guia-definitivo-da-autoestima-fe... APPS DE NAMORO: como seria se a VIDA REAL fosse como no Tinder ou Happn? 📱 Hoje em dia, muita gente usa o celular e a internet para participar de aplicativo de relacionamento. Contamos como fazemos pro nosso namoro ter durado tanto tempo dessa vez. Deixa seu LIKEEEEE!!! Não esqueçam de se INSCREVEREM FACEBOOK https://www.facebo...